Última hora

Última hora

Qual o impacto dos atentados terroristas no turismo de Bruxelas?

O setor do turismo de Bruxelas, um dos pontos fortes da cidade, atravessa um período conturbado, no rescaldo dos atentados terroristas que atingiram

Em leitura:

Qual o impacto dos atentados terroristas no turismo de Bruxelas?

Tamanho do texto Aa Aa

O setor do turismo de Bruxelas, um dos pontos fortes da cidade, atravessa um período conturbado, no rescaldo dos atentados terroristas que atingiram a capital belga. Em entrevista à Euronews, Patrick Bontinck, diretor do portal de turismo “Visit Brussels”, deu conta, de forma preocupante, do impacto da tragédia.

Grégoire Lory, euronews – Qual o impacto dos atentados terroristas sobre o turismo de Bruxelas?

Patrick Bontinck, diretor do portal de turismo “Visit Brussels” – Obtivemos uma última atualização de várias capitais europeias, na sequência dos ataques que ocorreram em Bruxelas. Na capital belga há uma quebra de 50%, cerca de 30% em Londres, 38% em Berlim e 35% em Paris. Por isso, podemos perceber que vários locais foram afetados pelos ataques. Este barómetro mede essencialmente a taxa de ocupação hoteleira. Mas existe um duplo impacto, porque existem os ataques, mas também se espera que o aeroporto de Bruxelas reabra em breve. As pessoas têm dificuldades para chegar à capital belga. É fácil chegar de comboio, mas aqueles que vêm de longe não podem aterrar em Bruxelas.

euronews – O que é que o setor turístico representa para a cidade de Bruxelas?

Patrick Bontinck – Em Bruxelas apenas o turismo representa 50 mil empregos, quase 10% do PIB, o que é bastante. Neste momento existem medidas para o desemprego económico, mas não existem outras medidas particulares que tenham sido adotadas. As federações estão a negociar com os diferentes governos para encontrar forma de fazer frente a esta situação que será difícil.

euronews – Está preocupado com a atividade turística de Bruxelas a curto prazo?

Patrick Bontinck – É bastante complicado porque sabemos, mais ou menos, que com o que aconteceu o impacto é válido de seis semanas a três meses depois dos eventos. Foi assim em Paris.

euronews – Que turistas decidiram anular a viagem a Bruxelas?

Patrick Bontinck – Por agora é bastante difícil precisar porque não podemos identificar quem decidiu anular por causa do aeroporto ou dos atentados. Não podemos medir verdadeiramente o impacto. É preciso esperar uma semana mais. O aeroporto vai retomar a atividade e poderemos medir em breve o impacto real em termos da imagem dos atentados em Bruxelas.

euronews – No mês de novembro lançou a iniciativa “Ligue para Bruxelas”, através da qual os cidadãos podiam responder a dúvidas por telefone. Pensa lançar outra iniciativa deste tipo?

Patrick Bontinck – Tentámos dar a palavra aos cidadãos, aos turistas que se encontravam em Bruxelas, para explicar a situação na capital belga. Ainda não decidimos o que vamos fazer a seguir. Mas queremos a colaboração dos cidadãos de Bruxelas porque considero que mostraram alguma resistência em relação ao que se passou. Acima de tudo queremos continuar a dar-lhes a palavra nas nossas comunicações futuras porque o que torna uma cidade interessante são também as pessoas que nela vivem.