This content is not available in your region

Negociações de paz para a Síria: Combates e Assad dividem posições em Genebra

Access to the comments Comentários
De  Francisco Marques  com reuters
Negociações de paz para a Síria: Combates e Assad dividem posições em Genebra

<p>O reatar das negociações de paz para a Síria, suspensas segunda-feira em Genebra pela delegação da oposição ao regime, está dependente do respeito das forças governamentais fiéis a Bashar al-Assad pelo acordo de cessação das hostilidades no país. O próprio enviado especial das Nações Unidas para a Síria, Staffan de Mistura, admite “preocupação” pelos “combates a acontecer em algumas áreas” do país, “nomeadamente em Aleppo.”</p> <p>A suspensão “sine data” das negociações foi avançada esta terça-feira pela delegação da oposição síria presente em Genebra, na Suíça, onde o processo transição política na Síria deveria estar a ser negociado esta semana. “Não há data (para retomar as conversações). A data é… a implementação no terreno do acordado assim como a correção do caminho das negociações. Enquanto isto não acontecer, o período de suspensão (das negociações) mantém-se aberto”, afirmou George Sabra, da oposição síria, à Orient TV, garantindo ter “reclamações sérias” face aos Estados Unidos pela insistência no continuar das conversações “sem que nada seja concretizado.”</p> <blockquote class="twitter-tweet" data-lang="pt" align="center"><p lang="en" dir="ltr"><span class="caps">EYEWITNESS</span> <span class="caps">VIDEO</span>: Life under siege & barrel bombs – Daraya, Syria's devastating reality <a href="https://t.co/4GE7DLXfFU">https://t.co/4GE7DLXfFU</a> <a href="https://t.co/IFMnBRovRw">pic.twitter.com/IFMnBRovRw</a></p>— AmnestyInternational (@AmnestyOnline) <a href="https://twitter.com/AmnestyOnline/status/722319936958369792">19 de abril de 2016</a></blockquote> <script async src="//platform.twitter.com/widgets.js" charset="utf-8"></script></p> <p>À <b>euronews</b>, em Genebra, outro membro da delegação da oposição síria, Ahmed Kamel, apontou o dedo ao regime de Bashar al-Assad e sublinhou que agora a prioridade já “não é negociar, mas sim conseguir os objetivos”. “De início, estávamos muito satisfeitos com o fim das hostilidades, mas estas tréguas tornaram-se muito frágeis porque foram cometidas violações pelo regime. Violações que levaram ao colapso do acordo de cessar as hostilidades”, acusou Ahmed Kamel, acrescentando: “O regime não só quer ganhar tempo como também quer dar uma nova definição e princípios à transição política que ninguém pode aceitar.”</p> <p>A delegação do regime, por seu lado, insiste que a posição do líder do governo não está em discussão e que Bashar al-Assad faz parte do futuro da Síria, como presidente de um qualquer futuro governo. “Em Genebra, temos apenas um mandato: simplesmente, acordar um governo nacional abrangente. É isto que oferecemos. Este é o objetivo que tentamos alcançar nestas negociações”, sublinhou Bashar Jaafari, o chefe da delegação do regime sírio presente na Suíça, sublinhando que o destino do Presidente Assad não podia ser discutido nestas negociações.</p> <blockquote class="twitter-tweet" data-lang="pt" align="center"><p lang="en" dir="ltr">Syrian government delegation joins Geneva talks under pressure to negotiate <a href="https://t.co/L0n0HikSdJ">https://t.co/L0n0HikSdJ</a></p>— Reuters Top News (@Reuters) <a href="https://twitter.com/Reuters/status/721035871345094657">15 de abril de 2016</a></blockquote> <script async src="//platform.twitter.com/widgets.js" charset="utf-8"></script></p> <p>O líder da delegação da oposição síria já reagiu e afirmou ser impossível chegar-se a uma solução para a Síria enquanto Assad se mantiver no poder. Riad Hijbab apelou aos ministros dos Negócios Estrangeiros do grupo internacional de apoio à Síria para reavaliarem as tréguas agora terminadas.</p> <p>Apesar da suspensão das negociações formais, o responsável da <span class="caps">ONU</span> admitiu que face à permanência em Genebra da delegação da oposição ao regime sírio será possível manter algumas “reuniões técnicas” ao longo desta semana e assim não perder por completo o tempo.</p> <blockquote class="twitter-tweet" data-lang="pt" align="center"><p lang="en" dir="ltr">Update on ongoing <a href="https://twitter.com/hashtag/SyriaTalks?src=hash">#SyriaTalks</a> in Geneva by Staffan de Mistura, UN <a href="https://twitter.com/hashtag/Syria?src=hash">#Syria</a> Envoy<br /> Transcript: <a href="https://t.co/CrqNDFVrUi">https://t.co/CrqNDFVrUi</a> <a href="https://t.co/zbCdsaspJE">pic.twitter.com/zbCdsaspJE</a></p>— UN Geneva (@UNGeneva) <a href="https://twitter.com/UNGeneva/status/722340854204121088">19 de abril de 2016</a></blockquote> <script async src="//platform.twitter.com/widgets.js" charset="utf-8"></script></p>