Última hora

Em leitura:

Iraque: Exército diz ter tomado Fallujah, bastião dos jihadistas do Estado Islâmico no país

mundo

Iraque: Exército diz ter tomado Fallujah, bastião dos jihadistas do Estado Islâmico no país

Publicidade

ALL VIEWS

Clique para descobrir

O Exército iraquiano começou esta segunda-feira de manhã (hora local) uma operação de grande envergadura para tomar a cidade de Fallujah, situada 50 quilómetros a oeste da capital Bagdade e considerada como um dos bastiões dos jihadistas do autoproclamado Estado Islâmico (EI) ou Daesh, pela sigla em língua árabe.

Sabah al-Nomane, porta-voz das forças de elite e da unidade de combate ao terrorismo, disse à agência France-Presse que o Exército iraquiano tinha efetivamente dado início ao assalto à cidade. Informou também que as forças iraquianas conseguiram penetrar em Fallujah a partir de três pontos distintos.

Elementos das forças iraquianas presentes no terreno confirmaram, por seu lado à agência Reuters que unidades daquele exército tentavam avançar, durante segunda-feira, sobre pontos estratégicos de Fallujah, cidade com cerca de 320 mil habitantes. Podiam ouvir-se explosões e tiros em Naimiya, zona sul da cidade, segundo a mesma fonte.

A operação para capturar Fallujah, levada a cabo pelo Exército iraquiano, apoiado por milícias xiitas, por sua vez, com apoio logístico do Irão, começou no passado dia 23 de maio. As forças iraquianas começaram por exercer pressão no perímetro de Fallujah, tomado importantes zonas da região, tendo depois decidido tomar de assalto a cidade.

Foi em janeiro de 2014 que Fallujah caiu nas mãos dos jihadistas do Daesh, seis meses depois de ter sido proclamado um califado nas regiões até então conquistas nos territórios internacionalmente reconhecidos como parte integrante do Iraque e da Síria.

Exército turco mata 28 jihadistas na Síria

O exército turco afirma ter matado pelo menos 28 jihadistas do Daesh durante uma operação levada a cabo na cidade de Alepo, no norte da Síria. A operação teve lugar este domingo (29) e foi uma retaliação pelos mais recentes ataques contra localidades situadas na fronteira turco-síria. Uma informação avançada pela Reuters, citando media locais.

Segundo o jornal Sabah, próximo do Governo turco, pelo menos 5 pessoas tinham sido feridas na passada sexta-feira (27) na província de Kilis, depois de uma série de ataques lançados a partir de território Sírio pelos jihadistas do autoproclamado Estado Islâmico. A região atingida fica situada a cerca de 60 quilómetros da cidade de Alepo. De resto, Killis sofreu, até ao momento, cerca de 70 ataques por parte do Daesh, durante os quais morreram pelo menos 20 pessoas desde o passado mês de janeiro.

O Governo turco considerou que os ataques poderiam ter sido inicialmente considerados como danos colaterais, mas que, dada a regularidade com que passaram a acontecer, passaram posteriormente a ser encarados por Ancara como ataques deliberados. O exército turco já pediu ajuda aos aliados ocidentais para conseguir defender as suas fronteiras.

ALL VIEWS

Clique para descobrir

Há pontos de vista diferentes para cada história: a Euronews conta com jornalistas do mundo inteiro para oferecer uma perspetiva local num contexto global. Conheça a atualidade tal como as outras línguas do nosso canal a apresentam.

Artigo seguinte