Última hora

Em leitura:

Terror e turismo: causa e efeito

Business Line

Terror e turismo: causa e efeito

Publicidade

Com as férias de verão em curso, o contexto turístico junto ao Mediterrâneo está a mudar. Quando escolhemos um destino turístico, é normal precavermos uma série de situações. O mais importante será certamente a segurança.

Mais de 80 pessoas foram mortas quinta-feira, 14 de julho, na famosa marginal de Nice, um dos ex-líbris da Riviera francesa. Ao contrário dos habituais animados jantares de famílias e grupos de amigos, nos hotéis e restaurantes da zona assistiu-se ao medo e às lágrimas das pessoas.

Como é que isto vai afetar o popular destino da Costa Azul francesa? É o que analisamos nesta edição de Business Line assim como a situação noutros pontos turísticos do Mediterrâneo.

A Turquia tem sido palco de vários ataques nos últimos anos. O aeroporto e Istambul foi alvo de um atentado há pouco tempo e no último fim de semana houve uma tentativa falhada de golpe militar. Tudo junto agrava de forma significativa a imagem da Turquia.

Estes populares destinos não vão, como é óbvio, desaparecer das brochuras turísticas, mas quem planeia férias ou escapadelas vai certamente pensar duas vezes quando estiver a delinear os próximos planos de viagem. Vão certamente procurar destinos mais seguros como Portugal, Espanha ou talvez a Grécia.

Para aprofundar esta relação impossível entre o terrorismo e o turismo debatemos este tema com três jornalistas da euronews que têm vindo a acompanhar quase ao minuto os recentes acontecimentos: Sohie Desjardin, chefe da equipa francesa; Tuba Altunkaya, da equipa turca; e Symela Touchtidou, da nossa delegação em Atenas, Grécia. Vejam o que elas dizem no vídeo em cima.

Há pontos de vista diferentes para cada história: a Euronews conta com jornalistas do mundo inteiro para oferecer uma perspetiva local num contexto global. Conheça a atualidade tal como as outras línguas do nosso canal a apresentam.

Artigo seguinte