Última hora

Em leitura:

Águas olímpicas causam preocupação sanitária

mundo

Águas olímpicas causam preocupação sanitária

Publicidade

A oito dias da cerimónia de abertura dos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, renovam-se os alertas sanitários sobre a qualidade das águas da baía de Guanabara. Os esgotos da cidade maravilhosa desaguam numa baía que tinha a despoluição como projeto de herança olímpica. Mas o projeto ficou no papel e agora os atletas estão em perigo.

“A ideia é que os atletas se mantenham com o mínimo de contacto com a água, infelizmente é isso! Boca fechada, evitar que respingos de água penetrem na boca, nos olhos. Mas como é que você vai controlar? É muito difícil. Eles provavelmente vão sofrer contaminação, não quer dizer que eles vão ficar doentes, mas vão estar em contacto com a água e é uma água altamente contaminada” – explica o pediatra carioca Dr. Daniel Becker.

As águas contaminadas por fezes humanas e outros dejetos vão ser palco de provas de natação, triatlo, vela ou windsurf. Muitos atletas já treinam no local, é o caso do velejador brasileiro e bicampeão olímpico Robert Scheidt.

“Treinei aqui há pouco tempo (10 dias) e não vou dizer que estava perfeito, que não tinha nenhum detrito, mas estava muito melhor do que a Baía sempre esteve.”

As autoridades cariocas instalaram umas “ecobarreiras” para impedir que os detritos que são deitados nas ribeiras da cidade cheguem à baía.

Há pontos de vista diferentes para cada história: a Euronews conta com jornalistas do mundo inteiro para oferecer uma perspetiva local num contexto global. Conheça a atualidade tal como as outras línguas do nosso canal a apresentam.

tradução automática

Artigo seguinte