Última hora

Em leitura:

Majlinda Kelmendi, a judoca de "ouro" do Kosovo

Desporto

Majlinda Kelmendi, a judoca de "ouro" do Kosovo

Publicidade

A judoca Majlinda Kelmendi partiu para os Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro repleta de ambições e acabou por fazer história ao conquistar a primeira medalha de ouro de sempre para o Kosovo.

Já tinha participado nos Jogos Olímpicos de Londres 2012 pela Albânia, mas a vitória agora conseguida tem um sabor especial, como explicou em entrevista à Euronews: “Desta vez estava muito concentrada e queria desesperadamente ganhar. Não só porque era favorita. Queria vencer por causa do meu país. É a primeira vez que o Kosovo participa nos Jogos Olímpicos e eu queria ter sucesso. No dia da prova dizia para mim mesma: sou boa, suficientemente forte e vai correr bem, sou a melhor do mundo. Por isso estava suficientemente confiante. Um pouco stressada também mas julgo que é normal.”

O Rio de Janeiro parece ser sinónimo de sucesso para a judoca que, em 2013, conquistou o primeiro título de campeã mundial na cidade. Agora não esconde o orgulho de levar o nome do Kosovo mais longe.

“Era jovem mas percebi que o meu país precisava de estar representado no mundo. Sabia que o podia fazer melhor e mais facilmente do que outras pessoas no país. Estou muito contente por levar esta medalha para o Kosovo e por não ir parar a outro país. Não há milhões, não há dinheiro no mundo, que possam fazer uma pessoa sentir-se como me sinto. Pode ter-se milhões ou milhares de milhões, mas isso não quer dizer que se seja respeitado”, desabafou Majlinda.

Mulher de convicções fortes, a atleta assegura que o judo lhe permitiu encontrar o equilíbrio entre o corpo e a parte mental: “É o tipo de desporto que ensina a ter-se respeito por tudo e por todos. Quando começei a praticar judo mudei por completo. Em criança era calma e até tinha medo de sair à rua. Depois começei a praticar judo e ganhei uma personalidade mais forte. Crescer com o judo faz-nos aprender a respeitar tudo e todos. Temos boa coordenação entre o corpo e a mente. Se não nos tornarmos campeões, pelo menos tornamo-nos grandes pessoas.

A judoca conquistou o ouro nos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro 2016 depois de bater a italiana Odette Giuffrida por “yuko” na final de judo da categoria de -52kg.

Há pontos de vista diferentes para cada história: a Euronews conta com jornalistas do mundo inteiro para oferecer uma perspetiva local num contexto global. Conheça a atualidade tal como as outras línguas do nosso canal a apresentam.

tradução automática

tradução automática

Artigo seguinte