Última hora

Kalobeyei: O campo de refugiados que quer fazer a diferença

A cerca de 10 quilómetros do campo de refugiados de Kakuma, no noroeste de Quénia, ergue-se o de Kalobeyei.

Em leitura:

Kalobeyei: O campo de refugiados que quer fazer a diferença

Tamanho do texto Aa Aa

A cerca de 10 quilómetros do campo de refugiados de Kakuma, no noroeste de Quénia, ergue-se o de Kalobeyei. Mais do que um porto de abrigo para quem foge à violência, o espaço quer fomentar a autossuficiência alimentar. Aqui os refugiados estão a receber plantas e sementes para cultivar a terra.

allviews Created with Sketch. Point of view

"É uma experiência piloto para que possamos ter mais comida"

“Não queremos ficar sentados sem fazer nada como as pessoas de Kakuma. Posso já ter idade, mas ainda tenho força para trabalhar. Podemos defender-nos e tomar conta das nossas famílias” refere Katerina Baka, uma refugiada do Sudão do Sul.

Uma iniciativa aplaudida pelos refugiados que passaram pelo campo de Kakuma. Os responsáveis mostram-se confiantes no sucesso do projeto

“É uma experiência piloto para que possamos ter mais comida e para que possam ser os refugiados a produzir os alimentos com vista a uma maior autonomia” afirma William Erot, um dos elementos envolvidos no projeto no campo de Kalobeyei.

Construído para aliviar a pressão em Kakuma, o campo de refugiados de Kalobeyei pode vir a torna-se um exemplo do que ainda pode ser feito.