Última hora

Em leitura:

Kalobeyei: O campo de refugiados que quer fazer a diferença

mundo

Kalobeyei: O campo de refugiados que quer fazer a diferença

Publicidade

A cerca de 10 quilómetros do campo de refugiados de Kakuma, no noroeste de Quénia, ergue-se o de Kalobeyei. Mais do que um porto de abrigo para quem foge à violência, o espaço quer fomentar a autossuficiência alimentar. Aqui os refugiados estão a receber plantas e sementes para cultivar a terra.

“Não queremos ficar sentados sem fazer nada como as pessoas de Kakuma. Posso já ter idade, mas ainda tenho força para trabalhar. Podemos defender-nos e tomar conta das nossas famílias” refere Katerina Baka, uma refugiada do Sudão do Sul.

Uma iniciativa aplaudida pelos refugiados que passaram pelo campo de Kakuma. Os responsáveis mostram-se confiantes no sucesso do projeto

“É uma experiência piloto para que possamos ter mais comida e para que possam ser os refugiados a produzir os alimentos com vista a uma maior autonomia” afirma William Erot, um dos elementos envolvidos no projeto no campo de Kalobeyei.

Construído para aliviar a pressão em Kakuma, o campo de refugiados de Kalobeyei pode vir a torna-se um exemplo do que ainda pode ser feito.

Há pontos de vista diferentes para cada história: a Euronews conta com jornalistas do mundo inteiro para oferecer uma perspetiva local num contexto global. Conheça a atualidade tal como as outras línguas do nosso canal a apresentam.

Artigo seguinte