Última hora

Em leitura:

Depois da polémica Trump admite que Obama nasceu nos EUA

mundo

Depois da polémica Trump admite que Obama nasceu nos EUA

Publicidade

O “lavar de roupa suja”, em questões recorrentes, na campanha para as Presidenciais dos EUA, voltou à ordem do dia.

Donald Trump voltou a questionar a naturalidade de Barack Obama. Hillary Clinton afirmou que o seu adversário deve um pedido de desculpas ao Presidente e aos americanos:

“Há cinco anos que sabemos quem o Donald é. Ele liderou este movimento sobre a naturalidade para tentar tirar a legitimidade ao nosso primeiro presidente negro. A sua campanha é fundada nesta mentira descarada”, afirmou Clinton.

Já esta sexta-feira, em mais uma ação de campanha, Trump acabou por pôr fim ao debate:

O Presidente Barack Obama nasceu nos EUA, ponto final”, afirmou Trump.

“A campanha presidencial atingiu um novo estado de tensão. Depois de semanas mais contido, Donald Trump parece regressar ao ataque arrogante e um pouco fora do contexto.

Numa entrevista, recusou-se a dizer se acredita, ou não, que o presidente Obama nasceu nos Estados Unidos. O que reabre a teoria da conspiração depois da questão ter sido verificada e arrumada. Ainda tentou acusar Clinton de ter levantado a questão, pela primeira vez, em 2008, o que é falso.

Porque é que Trump continua a falar sobre isto? Provavelmente, porque as suas sondagens lhe deram, nos últimos dias, uma sensação de vitória. O que começa a aterrorizar os Democratas.

Ironicamente, essa pode ser a arma secreta. O medo de uma vitória de Trump, pode ser a única coisa que a levar muitos Democratas, insatisfeitos e independentes, a decidirem votar Clinton”, explica o enviado da euronews a Washington, Stefan Grobe.

Há pontos de vista diferentes para cada história: a Euronews conta com jornalistas do mundo inteiro para oferecer uma perspetiva local num contexto global. Conheça a atualidade tal como as outras línguas do nosso canal a apresentam.

Artigo seguinte