This content is not available in your region

Alemanha, França e Itália reúnem-se para debater a Síria e segurança europeia

Access to the comments Comentários
De  Francisco Marques  com EFE
Alemanha, França e Itália reúnem-se para debater a Síria e segurança europeia

<p>O conflito na Síria e, mais em particular, a dramática situação em Alepo estiveram entre os vários temas debatidos esta quarta-feira, em Roma, pelos responsáveis diplomáticos de Alemanha, França e Itália. A política europeia de segurança e defesa (<span class="caps">CSDP</span>) também esteve sobre a mesa.</p> <p>A reunião aconteceu um dia após o presidente da Rússia ter cancelado uma viagem a França, com críticas ao Eliseu pela resolução para o conflito sírio apresentada ao Conselho de Segurança das Nações Unidas. A delegação russa vetou a proposta e Vladimir Putin alegou que essa teria sido a intenção francesa desde o início (vídeo em baixo).</p> <div style="float: none; clear: both; width: 100%; position: relative; padding-bottom: 56.25%; padding-top: 25px; height: 0;"> <iframe style="position: absolute; top: 0; left: 0; width: 100%; height: 100%;" src="https://www.youtube.com/embed/uNtbrEAIusM" frameborder="0" allowfullscreen></iframe></div></p> <p>Após a reunião em Roma, o ministro italiano dos Negócios Estrangeiros sublinhou, apesar de tudo, haver confiança “de que a Rússia acabe por dar um contributo decisivo à crise na Síria, influenciando de forma positiva o regime de Bashar al-Assad”. “Embora nas últimas semanas esse não tenha sido o caso”, lamentou Paolo Gentiloni.</p> <blockquote class="twitter-tweet" data-lang="pt" align="center"><p lang="it" dir="ltr">Con <a href="https://twitter.com/hashtag/Steinmeier?src=hash">#Steinmeier</a> e <a href="https://twitter.com/jeanmarcayrault"><code>jeanmarcayrault</a> impegno comune su migrazioni, <a href="https://twitter.com/hashtag/Siria?src=hash">#Siria</a> e sicurezza comune europea <a href="https://t.co/sFVP8jflnB">pic.twitter.com/sFVP8jflnB</a></p>&mdash; Paolo Gentiloni (</code>PaoloGentiloni) <a href="https://twitter.com/PaoloGentiloni/status/786298721768247303">12 de outubro de 2016</a></blockquote> <script async src="//platform.twitter.com/widgets.js" charset="utf-8"></script></p> <p>Uma das declarações mais esperadas de entre os três diplomatas presentes na reunião era, claro, a do ministro dos Negócios Estrangeiros francês. Jean Marc Ayrault referiu que a “prioridade não é entrar num ciclo de sanções” a Moscovo. </p> <p>“A nossa prioridade e determinação passam por convencer todos os envolvidos a parar com os bombardeamentos em Alepo e permitir, tão rápido quanto possível, o acesso de ajuda humanitária e também a retomada do processo político”, afirmou Ayrault.</p> <p>O homólogo alemão, por fim, lembrou que há muito mais em jogo na Síria do que os interesses políticos de Damasco, Moscovo, Washington ou Bruxelas. “Não está em causa apenas a nossa responsabilidade política. Vendo as imagens que todos os dias nos chegam de Alepo, escutando as notícias, percebe-se que isto é também sobre responsabilidade moral”, considerou Frank-Walter Steinmeier.</p> <blockquote class="twitter-tweet" data-lang="pt" align="center"><p lang="en" dir="ltr">FMs from <a href="https://twitter.com/hashtag/Germany?src=hash">#Germany</a>, <a href="https://twitter.com/hashtag/Italy?src=hash">#Italy</a> and <a href="https://twitter.com/hashtag/France?src=hash">#France</a> – <a href="https://twitter.com/hashtag/Steinmeier?src=hash">#Steinmeier</a>, <a href="https://twitter.com/PaoloGentiloni"><code>PaoloGentiloni</a> + <a href="https://twitter.com/jeanmarcayrault"></code>jeanmarcayrault</a> during talks in <a href="https://twitter.com/hashtag/Rome?src=hash">#Rome</a>. Focus on <a href="https://twitter.com/hashtag/CSDP?src=hash">#CSDP</a> and <a href="https://twitter.com/hashtag/Syria?src=hash">#Syria</a>. <a href="https://t.co/RLlqtl1bsp">pic.twitter.com/RLlqtl1bsp</a></p>— GermanForeignOffice (@GermanyDiplo) <a href="https://twitter.com/GermanyDiplo/status/786268582216732672">12 de outubro de 2016</a></blockquote> <script async src="//platform.twitter.com/widgets.js" charset="utf-8"></script></p> <p>Esta reunião em Roma partiu de uma iniciativa italiana e teve por base começar a preparar com a França e a Alemanha a cimeira europeia marcada para março, em Malta, onde irão ser aprofundados todos os os problemas que se colocam aos diversos parceiros como, por exemplo, o “Brexit” ou as consequências do conflito na Síria.</p>