Última hora

Em leitura:

Protestos pós-eleitorais sobem de tom nos Estados Unidos


EUA

Protestos pós-eleitorais sobem de tom nos Estados Unidos

Os protestos nos Estados Unidos continuam e sobem de tom em várias cidades. Milhares de pessoas recusam-se a aceitar a vitória de Donald Trump.

Em Portland, os manifestantes arremessaram objetos contra lojas e veículos. Atearam fogo a caixotes do lixo. Provocaram pequenas explosões.

As forças de segurança responderam com gás lacrimogéneo e efetuaram várias detenções.
A polícia estima que só nesta cidade 4000 pessoas se tenham juntado ao protesto.

Em Oakland, na Califórnia, foram cerca de 7000 manifestantes. Lançaram “cocktails molotov” e pedras contra as autoridades e provocaram pelo menos 40 fogos.
Três agentes da polícia ficaram feridos. 30 pessoas acabaram detidas.

O protesto também se faz nas redes sociais.
“Not my president” (em português, ‘não é o meu presidente’) é um movimento que nasceu no Twitter, na noite das eleições, e fez eco em pelo menos 25 cidades dos Estados Unidos, entre elas: Oakland, Portland, Nova Iorque, Los Angeles, Chicago, Filadélfia, Atlanta, Boston, Seattle, São Francisco e Washington.

Através de uma publicação na sua página de Facebook, o movimento convocou uma manifestação frente ao Capitólio, em Washington, no dia da tomada de posse do 45º Presidente norte-americano, a 20 de janeiro de 2017.

Há pontos de vista diferentes para cada história: a Euronews conta com jornalistas do mundo inteiro para oferecer uma perspetiva local num contexto global. Conheça a atualidade tal como as outras línguas do nosso canal a apresentam.

Artigo seguinte

mundo

Afeganistão: Talibãs reivindicam atentado contra consulado alemão