Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.
Última hora

Protestos pós-eleitorais sobem de tom nos Estados Unidos

Protestos pós-eleitorais sobem de tom nos Estados Unidos
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

Os protestos nos Estados Unidos continuam e sobem de tom em várias cidades. Milhares de pessoas recusam-se a aceitar a vitória de Donald Trump.

Em Portland, os manifestantes arremessaram objetos contra lojas e veículos. Atearam fogo a caixotes do lixo. Provocaram pequenas explosões.

As forças de segurança responderam com gás lacrimogéneo e efetuaram várias detenções.
A polícia estima que só nesta cidade 4000 pessoas se tenham juntado ao protesto.

Em Oakland, na Califórnia, foram cerca de 7000 manifestantes. Lançaram “cocktails molotov” e pedras contra as autoridades e provocaram pelo menos 40 fogos.
Três agentes da polícia ficaram feridos. 30 pessoas acabaram detidas.

O protesto também se faz nas redes sociais.
“Not my president” (em português, ‘não é o meu presidente’) é um movimento que nasceu no Twitter, na noite das eleições, e fez eco em pelo menos 25 cidades dos Estados Unidos, entre elas: Oakland, Portland, Nova Iorque, Los Angeles, Chicago, Filadélfia, Atlanta, Boston, Seattle, São Francisco e Washington.

Através de uma publicação na sua página de Facebook, o movimento convocou uma manifestação frente ao Capitólio, em Washington, no dia da tomada de posse do 45º Presidente norte-americano, a 20 de janeiro de 2017.