This content is not available in your region

Síria: OMS condena ataques a instalações de saúde

Access to the comments Comentários
De  Miguel Roque Dias  com Reuters
Síria: OMS condena ataques a instalações de saúde

<p>A Organização Mundial de Saúde condena os ataques a instalações e profissionais de saúde, na Síria.</p> <p>Um hospital pediátrico foi atingido, na quarta-feira, na parte oriental da cidade de Alepo, um dia após o recomeço dos ataques aéreos das forças de Bashar al-Assad contra os rebeldes que se opõem ao regime.</p> <blockquote class="twitter-tweet" data-lang="en"><p lang="en" dir="ltr"><span class="caps">WHO</span> condemns the attacks on six hospitals in <a href="https://twitter.com/hashtag/Syria?src=hash">#Syria</a> on 13-16 November 2016. They are <a href="https://twitter.com/hashtag/NotATarget?src=hash">#NotATarget</a></p>— <span class="caps">WHO</span> (@WHO) <a href="https://twitter.com/WHO/status/798911372494979072">November 16, 2016</a></blockquote> <script async src="//platform.twitter.com/widgets.js" charset="utf-8"></script> <p>Várias bombas e projéteis caíram perto de um banco de sangue e de algumas ambulâncias. Um centro clínico ficou completamente destruído.</p> <p>“É chocante que as instalações de saúde continuem a ser atacadas na Síria. Só este ano, houve 126 ataques contra instalações e trabalhadores, registados pela Organização Mundial da Saúde e parceiros”, informa o porta-voz da <span class="caps">OMS</span>, Tarik Jasarevic.</p> <p>A Rússia, aliada de al-Assad, tem realizado ataques aéreos na Síria, desde setembro de 2015, insiste que apenas atinge “alvos terroristas”, e não em Alepo.</p> <p>Os ataques às cidades de Alepo, Idlib e Homs, recomeçaram há dois dias, depois de uma pausa de três semanas. </p> <p>Segundo as autoridades locais, cerca de 80 pessoas morreram e mais de 100 ficaram feridas durante os ataques aéreos e de artilharia nas áreas de Alepo e Idlib. </p> <p><em>Com: Reuters</em></p>