Afeganistão: EI reivindica atentado contra mesquita xiita em Cabul

Access to the comments Comentários
De  Euronews
Afeganistão: EI reivindica atentado contra mesquita xiita em Cabul

<p>Mais de trinta pessoas morreram em Cabul, depois de um bombista suicida ter atacado uma mesquita xiita na capital afegã. </p> <p>A explosão, que feriu mais de oitenta pessoas, ocorreu no interior do templo de Baqir-ul-Olum, durante uma cerimónia religiosa. </p> <p>Trata-se do terceiro ataque desde julho a visar a minoria xiita, e o terceiro a ser reivindicado pelo grupo Estado Islâmico.</p> <p><blockquote class="twitter-tweet" data-partner="tweetdeck"><p lang="und" dir="ltr"><a href="https://twitter.com/hashtag/KabulAttack?src=hash">#KabulAttack</a> <a href="https://t.co/xPFZ0FVC9v">pic.twitter.com/xPFZ0FVC9v</a></p>— Fahim Abed (@fahimabed) <a href="https://twitter.com/fahimabed/status/800658139993542656">November 21, 2016</a></blockquote></p> <p>Segundo Faredoon Obiadi, chefe do departamento de investigação criminal da polícia de Cabul:</p> <p>“O ataque provocou a morte de pelo menos 27 civis e 35 outros ficaram feridos, os feridos e os mortos foram transferidos para os hospitais”.</p> <p>Os Talibã afegãos rejeitaram qualquer responsabilidade na ação, sublinhando que o grupo “nunca atacou mesquitas”, segundo o porta-voz Zabihullah Mujahid.</p> <p>Num comunicado, o presidente afegão, condenou um ataque “bárbaro” denunciando, uma alegada, “tentativa para dividir a população”.</p> <p>Segundo o responsável do hospital de Isteqlal, Mohammad Sabir”</p> <p>“Recebemos 38 feridos neste hospital, oito encontram-se em estado crítico, mas os restantes apresentam apenas ferimentos ligeiros”.</p> <p>O ataque ocorre num momento em que a violência contra civis atingiu um novo recorde este ano, quando mais de 1.600 pessoas foram mortas no país desde o início do ano, segundo a missão de assistência da <span class="caps">ONU</span> ao Afeganistão.</p>