This content is not available in your region

Turquia: Mais 15.000 funcionários afastados

Access to the comments Comentários
De  Euronews  com reuters, ft, guardian
Turquia: Mais 15.000 funcionários afastados

<p>Na Turquia, mais cerca de 15.000 pessoas foram despedidas ou suspensas e mais de 500 organizações encerradas no quadro da purga levada a cabo pelo presidente Recep Tayyip Erdogan na sequência da tentativa de golpe de Estado.</p> <p>Desde julho, entre professores, juízes, militares, polícias e outros funcionários públicos, mais de 110.000 pessoas foram despedidas ou suspensas no quadro da investigação ao golpe falhado. Cerca de 36.000 estão detidas a aguardar julgamento.</p> <p>Só esta terça-feira, perto de 2000 militares, cerca de 8000 polícias e mais de 5000 funcionários públicos foram despedidos por suspeita de ligações a organizações terroristas, na sequência de mais dois decretos publicados no quadro do estado de emergência em vigor na Turquia.</p> <p>Ancara atribui a responsabilidade pela tentativa de golpe de Estado ao clérigo turco Fethullah Gullen, <a href="https://www.ft.com/content/e87a34e4-4ae7-11e6-8d68-72e9211e86ab">um antigo aliado de Erdogan</a>.</p> <p>Desde o golpe fracassado, a Turquia tem <a href="https://www.theguardian.com/world/2016/jul/19/thousands-detained-as-turkey-vows-to-smoke-out-gulen-supporters">insistido com os Estados Unidos para extraditarem Gullen</a>, que vive na Pensilvânia desde 1999.</p>