Última hora

Última hora

Dois militares turcos desaparecem "dos radares"

Militares turcos dizem ter perdido o contacto, esta terça-feira, com dois soldados destacados no norte da Síria.

Em leitura:

Dois militares turcos desaparecem "dos radares"

Tamanho do texto Aa Aa

Militares turcos dizem ter perdido o contacto, esta terça-feira, com dois soldados destacados no norte da Síria.

A agência de notícias Amaq, afeta aos extremistas, disse que militantes do grupo Estado Islâmico os capturaram perto de al-Bab. Informação não confirmada.

Já os norte-americanos admitiram que o ataque aéreo, que matou 90 soldados do regime sírio, em setembro, perto de Deir Ezzor, foi decidido e concretizado com base em informações erradas:

“Esta foi uma situação em que tinham grande confiança de que estavam a atingir o grupo Estado Islâmico, mas não foi esse o caso, muito provavelmente atingiram forças alinhadas com o regime. Mas eles tinham motivos para acreditar que estavam a atingir o grupo Estado Islâmico. Vários fatores contribuíram para isso, vamos aprender com isto”, afirmou Peter Cook, porta-voz do Departamento de Defesa dos EUA.

A Organização das Nações Unidas apelou, esta terça-feira, ao cessar-fogo em Alepo para que possa entrar apoio humanitário. De acordo com a ONU, nos últimos dois dias, cerca de 16 mil civis fugiram dos bairros da zona oriental da cidade. O Observatório Sírio dos Direitos Humanos fala em cerca de 27 mil pessoas no nordeste da cidade, para onde avançam as forças sírias.

Os deslocados encontram-se em áreas, completamente, devastadas. Os residentes habituais vivem, há semanas, nas ruas, sem comida ou abrigo adequado.

De acordo com a organização britânica Save the Children, pelo menos 100 mil menores estão encurralados nos bairros do leste de Alepo que continuam em poder da oposição, após o avanço das forças governamentais.

Com Reuters