Última hora

Última hora

EUA: Juíz anula julgamento no caso Walter Scott

Um juíz do estado norte-americano da Carolina do Norte anulou o julgamento de Michael Slager, antigo agente da brigada de trânsito, autor dos disparos que mataram Walter Scott, no passado mês de abril

Em leitura:

EUA: Juíz anula julgamento no caso Walter Scott

Tamanho do texto Aa Aa

Com Associated Press

Point of view

Ele pode ter conseguido atrasar uma sentença, mas não conseguiu fugir dela

Chris Stewart Advogado, Família de Scott Walker

O julgamento do agente da brigada de trânsito do estado norte-americano da Carolina do Sul, Michael Slager, conhecido como o Caso Walter Scott, que disparou mortalmente contra um cidadão negro, na altura em fuga, foi anulado pelo juíz.

Os membros do júri, que permaneceram em reclusão para deliberações durante 22 horas, num total de quatro dias, *não conseguiram chegar a um veredito. **
Apenas um dos membros do júri era negro.

Michael Slegger, de 35 anos, é acusado de assassinato pela morte de Walter Scott, cidadão afro-americano de 50 anos de idade, quando este abandonou o seu veículo e fugiu dos agentes durante uma operação stop, no passado mês de abril.

Scott foi intercetado, segundo as autoridades, na localidade de North Charleston, por circular com uma luz de presença partida.

Foi alvejado cinco vezes por Slager, que alegou legítima defesa.



O momento em que Scott foge dos agentes e em que é atingido foi captado pelo telemóvel (telefone celular) de uma testemunha.

As imagens contradisseram o relatório policial inicialmente apresentado por Slager.

As imagens foram depois divulgadas em todo o mundo e deram origem a uma onda de protestos nos Estados Unidos, em particular por parte do movimento Black Lives Matter (As Vidas Negras Importam, em língua inglesa).

Segundo a Associated Press, o facto de Scott ser negro e de o agente Slagger ser branco parece não ter tido importância durante todo o julgamento.

No entanto, Michael Slagger deverá voltar aos tribunais a médio prazo, para enfrentar novo julgamento.

Chris Stewart, advogado da família Scott, disse que “a luta acaba de começar” e que “ainda se encontram no primeiro round.”

“Ele pode ter conseguido atrasar uma sentença, mas não conseguiu fugir dela”, acrescentou.

No dia em que foi dada a conhecer a anulação do julgamento, Anthony Scott, irmão da vítima, insistiu em que todos os protestos que venham a ter lugar se mantivessem pacíficos.

A morte da Walter Scott às mãos da polícia é apenas mais um episódio de brutalidade policial nos Estados Unidos.