Última hora

Em leitura:

Esqui Alpino: Lara Gut volta a "apaixonar-se" por Val d'Isère


gravity

Esqui Alpino: Lara Gut volta a "apaixonar-se" por Val d'Isère

Bem vindos a esta edição de Gravity feita a partir de Val d’Isère. Durante três semanas o “grande circo branco” montou o palco na estação da Savoia. Atrás de mim está o pódio do Super Gigante, a última das oito provas do programa do Criterium da primeira neve.

Lara Gut brilha em Val d’Isère

Depois de uma série de prestações menos positivas, Lara Gut voltou às vitórias este domingo. Na sexta e no sábado nem sequer pontuou. Mas no super gigante não teve rival. Venceu com um tempo de 1:23:24. Gut volta a mostrar que esta é a disciplina preferida: já no super gigante de Lake Luíse tinha sido a mais rápida.

Em entrevista à euronews, a esquiadora suíça garantiu que sai desta prova com mais confiança nos técnicos, na equipa. Mas também nas colegas de equipa porque no passado não eram tão unidas e estão a ajudá-la. Gut diz também que voltou a apaixonar-se por Val d’Isère e está cada vez mais confiante.

A apenas 13 décimas ficou Tina Weirather. A atleta do Liechtenstein lembra que chegou a estar na liderança da prova mas acabou por perder algum tempo no fim, como lhe acontece sempre nesta estância. Por isso sente-se um pouco frustrada mas satisfeita pela qualidade da prestação que teve.

A italiana Elena Curtoni ficou no terceiro lugar do pódio.
Destaque ainda para Tessa Worley, a grande favorita para esta prova e uma das supresas temporada. A francesa confessou-se um pouco desiludida, o que para a esquiadora é um bom sinal uma vez que quer subir ao pódio também no super G. Worley garante que o quinto lugar que conquistou acaba por não ser um mau resultado.
Vamos agora para Dolomites, no norte de Itália…para descobrir o que se passou num dos slaloms gigantes mais aguardados da temporada, o de Alta Badia.

Marcel Hirscher bate recordes em Alta Badia

Viajamos agora para Dolomites, no norte de Itália para descobrir o que se passou num dos slaloms gigantes mais aguardados da temporada, o de Alta Badia. Marcel Hirscher, o grande favorito para esta prova, confirmou as previsões no slalom.
O austríaco ficou em primeiro e ainda foi capaz de bater um novo recorde: é o quarto triúnfo consecutivo em Alta Badia. Desta vez com um tempo de 2m32s89.

Com esta vitória, Hirscher ultrapassou outro grande nome do esqui alpino, o suíço Pirmin Zurbriggen: já conta com 41 triunfos na competição.

Na segunda posição ficou o francês Mathieu Faivre, a 71 centésimas do vencedor. O terceiro lugar do pódio foi conquistado por um italiano Florian Eisath. Aliás, este é mesmo o melhor resultado da carreira do esquiador transalpino.

Regresso ao passado com a “Bomba”

Ninguém venceu tantas vezes o gigante de Alta Badia como Alberto Tomba. A conhecido como a “Bomba”, conquistou a primeira das quatro vitórias em Gran Risa, a 13 de dezembro de 1987. Façamos um regresso ao passado.

O slalom Sestrieres foi o palco para a primeira vitória da carreira de Alberto Tomba. Ainda com 21 anos, o italiano abriu um vastro livro de registos na Taça do Mundo de Esqui Alpino.

E a partir daí não parou. Poucas semanas depois o mesmo lugar no pódio no gigante de Alta Badia.

A “Bomba” era conhecida pelo estilo explosivo de esquiar…e pelas três medalhas de ouro olímpicas que conquistou, mais nove títulos na Taça do Mundo.

Há pontos de vista diferentes para cada história: a Euronews conta com jornalistas do mundo inteiro para oferecer uma perspetiva local num contexto global. Conheça a atualidade tal como as outras línguas do nosso canal a apresentam.

gravity

Reis do slalom confirmam favoritismo