Última hora

Última hora

"Voir du pays": a guerra no Afeganistão vista por duas mulheres

Em leitura:

"Voir du pays": a guerra no Afeganistão vista por duas mulheres

Tamanho do texto Aa Aa

O drama psicológico “Voir du pays” conta-nos a história de duas militares francesas, de férias em Chipre, após uma missão no Afeganistão.

O drama psicológico “Voir du pays” conta-nos a história de duas militares francesas, de férias em Chipre, após uma missão no Afeganistão. As protagonistas têm três dias para esquecer a guerra e descansar, mas, é muito difícil esquecer o campo de batalha.

Point of view

O nosso filme mostra que, quando não há um inimigo externo, quando os militares regressam a França, quando o Afeganistão deixa de ser o inimigo, então designa-se um outro inimigo, os estrangeiros, as mulheres, os traidores.

A realizadora Muriel Coulin explica que o título do filme, que faz referência a uma expressão francesa, é propositadamente irónico.

“É um título irónico. No exército, dizem aos soldados: ‘alistem-se e poderão visitar terras’, mas, na verdade, os soldados não visitam nada. O objetivo da guerra não é visitar países, é vencer batalhas e matar pessoas”

“A minha personagem mostra o ponto de vista de uma mulher que se encontra rodeada por homens e que sente sufocada. A minha personagem é muito masculina, violenta e desligada das emoções. Eu sou o oposto”, contou a atriz francesa Soko, uma das protagonistas.

“O nosso filme mostra que, quando não há um inimigo externo, quando os militares regressam a França, quando o Afeganistão deixa de ser o inimigo, então designa-se um outro inimigo, os estrangeiros, as mulheres, os traidores”, disse Delphine Coulin.

“Voir du Pays” venceu o prémio de melhor argumento na categoria “Un Certain Regard”, no último festival de cinema de Cannes.