Última hora

Em leitura:

Japão defende Toyota da ira de Trump


Economia

Japão defende Toyota da ira de Trump

O Japão defendeu a Toyota perante as ameaças de Donald Trump. O presidente eleito dos Estados Unidos voltou a fazer uso do Twitter, na quinta-feira, para advertir o construtor automóvel nipónico que se construir uma nova unidade fabril no México deverá pagar uma elevada taxa aduaneira para exportar Corollas para a América.

A Toyota e o governo de Tóquio reagiram à mensagem de Trump na rede social. O primeiro construtor automóvel do mundo recordou que faz parte do tecido social americano há seis décadas e que conta 10 fábricas e emprega 136 mil pessoas no país.

O ministro japonês do comércio falou em nome dos fabricantes nipónicos e lembrou a Donald Trump que a indústria automóvel nacional contribui para a economia americana com um milhão e meio de empregos. Hiroshige Seko assegurou ainda que nenhuma marca tinha intenções de deslocalizar fábricas dos Estados Unidos para o México.

De referir que a fábrica da polémica se destina a substituir uma unidade fabril no Canadá. Além disso, a Toyota assegura ser o menor importador de veículos construídos no México. Em 2015 apenas atravessaram a fronteira 78 mil pickups Tacoma.

A Nissan pode ser o construtor mais vulnerável à política de Donald Trump porque está fortemente implantada no México, onde produz cerca de 830 mil viaturas por ano.