Última hora

Última hora

Avalancha em Itália: Sobrevivente tinha a mulher e os filhos no hotel soterrado

Giampero Parate, de 38 anos, tinha ido ao carro e, quando voltava ao albergue Rigopiano, ouviu ruídos e gritos enquanto via "montanha a desabar sobre o edifício."

Em leitura:

Avalancha em Itália: Sobrevivente tinha a mulher e os filhos no hotel soterrado

Tamanho do texto Aa Aa

Pelo menos quatro corpos já tinham sido encontrados no hotel Rigopiano, em Abruzzo, centro de Itália, cerca de 24 horas após o edifício ter sido varrido quarta-feira à tarde por uma avalancha de neve. Cerca de 30 pessoas, entre funcionários e hóspedes do hotel, terão sido apanhadas desprevenidas.

Point of view

Quando voltava, ouvi um ruído e gritos. Vi a montanha a desabar sobre o edificio. Também me atingiu, mas apenas em parte.

Giampiero Parate Sobrevivente de avalancha em Itália

Um dos dois sobreviventes resgatados, Giampero Parate, de 38 anos, escapou por ter saído do hotel para ir ao carro, alegadamente à procura de um medicamento para a mulher.

“Quando voltava, ouvi um ruído e gritos. Vi a montanha a desabar sobre o edificio. Também me atingiu, mas apenas em parte”, disse o sobrevivente após ter sido localizado, ilseo, mas em hipotermia, no exterior do hotel soterrado.

Amigo de Giampiero Parate, Quintino Marcella contou à agência de notícias AGI ter recebido uma chamada “por volta das 17:45”. Era Giampero Parate a pedir “socorro” e a dizer-lhe para “avisar todo o mundo de que a situação era grave e que o hotel já não existia.”

Encontrado em estado de hipotermia, mas ileso, no exterior do hotel, Giampiero Parate foi levado para o hospital de Pescara. O diretor do serviço de reanimação da unidade de saúde revelou que o sobrevivente “está bem” apesar da hipotermia. “Fez exames, está acordado, consciente e já se aqueceu. O prognóstico é bom”, garantiu o doutor Tullio Spina.

As operações de busca prosseguem pelas dezenas de desaparecidos, mas o acesso à zona do hotel não é fácil devido às estradas soterradas pela neve.

Presidente de Portugal expressa condolências

Marcelo Rebelo de Sousa enviou, em nome de Portugal, uma mensagem de condolências ao Presidente italiano, Sergio Mattarella.

“Ao tomar conhecimento dos trágicos acontecimentos na província italiana de Pescara, onde uma avalancha atingiu o Hotel Rigopiano, na base da montanha de Gran Sasso, em Farindola, causando um número considerável de vítimas, o Presidente da República transmitiu ao Presidente da República Italiana o seu profundo pesar e a solidariedade de todo o povo português”, lê-se numa nota divulgada na página oficial da Presidência da República na internet.

No comunicado é ainda referido que o Presidente da República Portuguesa endereçou ao homólogo italiano e às famílias das vítimas “as mais sentidas condolências, em seu nome e em nome do povo português, expressando ainda votos de rápidas melhoras para todos os feridos.”