Última hora

Em leitura:

Governo alemão critica prisão de jornalista turco-alemão na Turquia


Turquia

Governo alemão critica prisão de jornalista turco-alemão na Turquia

Várias manifestações de protesto contra a prisão preventiva na Turquia do jornalista Deniz Yücel, de nacionalidade turca e alemã, tiveram lugar esta terça-feira na Alemanha. Um dos protestos realizou-se diante da embaixada turca em Berlim.

A diplomacia alemã convocou entretanto o embaixador da Turquia, Ali Kemal Aydin, para protestar contra a detenção provisória do jornalista.

O ministro dos Negócios Estrangeiros da Alemanha, Sigmar Gabriel, disse à imprensa que o embaixador turco foi informado pelo secretário de Estado dos Negócios Estrangeiros Walter Lindner de que o governo alemão considera a detenção de Yücel contrária aos princípios da liberdade de imprensa.

Para o chefe da diplomacia alemã, este incidente vem complicar as relações entre os dois países.

“O tratamento dado a Deniz Yücel coloca em evidência o facto de que a Alemanha e a Turquia e a União Europeia e a Turquia têm idéias muito diferentes sobre a aplicação dos princípios básicos de uma democracia constitucional e o valor da liberdade de imprensa”, afirmou Sigmar Gabriel.

Yücel foi detido no dia 14 de fevereiro por ter publicado informações com base num ataque informático à conta de correio eletrónico do ministro turco da Energia, Berat Albayrak, genro do presidente Recep Erdogan.

As mensagens de correio eletrónico pirateadas revelavam pressões políticas do governo turco sobre os média e estratégias de manipulação da opinião nas redes sociais.

Na Turquia, a prisão preventiva pode durar até cinco anos. O jornalista foi acusado de incitação ao ódio e de fazer propaganda a uma organização terrorista, em referência ao Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK), considerado por Ancara um grupo terrorista.

Cerca de 150 jornalistas turcos estão atualmente na prisão.