Última hora

UE: 27 mostram estar unidos apesar do "Brexit"

Os 27 mostram ao mundo que estão fortes e unidos, apesar da turbulência política provocada pelo “Brexit”.

Em leitura:

UE: 27 mostram estar unidos apesar do "Brexit"

Tamanho do texto Aa Aa

Os 27 mostram ao mundo que estão fortes e unidos, apesar da turbulência política provocada pelo “Brexit”.

Os líderes europeus reuniram-se, este sábado, na capital italiana para celebrarem os 60 anos da assinatura dos Tratados de Roma, que estão na génese da União Europeia.

Em Roma, foram renovados os princípios fundadores da União Europeia.

“Vou assinar, meus amigos, a Declaração de Roma com uma caneta, devo dizer, a caneta usada em 1957 pelo Luxemburgo para assinar os Tratados de Roma. Há assinaturas que perduram”, afirma o presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker.

Os líderes dos 27 Estados-membros adotaram a “Declaração de Roma”, onde manifestam orgulho pelos feitos alcançados nas últimas seis décadas e apontam o caminho a seguir, sempre na “mesma direção”.

O documento promete que os cidadãos vão ser ouvidos pelas instituições europeias.

Os líderes europeus afirmaram querer construir “uma Europa mais humana” e, especialmente, “menos burocrática”.

Nos últimos meses, os movimentos populistas e antieuropeístas têm surgido no seio da União, fomentados pela crise migratória, pela crise financeira e política.

Na sexta-feira, o Papa Francisco referiu que a União Europeia “corre o risco de morrer” se não retornar aos princípios dos fundadores.

Na audiência com os líderes europeus no Vaticano, o Sumo Pontífice manifestou o desejo de que a Europa seja uma “terra de acolhimento” dos refugiados e contra a xenofobia.

O enviado da euronews a Roma, Grégoire Lory, refere que “sob o sol da capital romana, os 27 Chefes de Estado e de Governo mostraram estar unidos. Por entre sorrisos, os líderes europeus assinaram a Declaração de Roma – 60 anos depois os Tratados com o mesmo nome.

Para o Presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, o documento é um recomeço para o projeto europeu. A prioridade, agora, é transformar estas palavras em atos”.