Última hora

Em leitura:

Moscovo e Teerão prontos para cooperação económica, energética e militar


Rússia

Moscovo e Teerão prontos para cooperação económica, energética e militar

Com AFP, TASS e IRNA

  • Presidente iraniano, Hassan Rouhani, encontra-se com*Vladimir Putin*
  • Visita oficial a Moscovo seguida de perto pelo Ocidente
  • Rússia e Irão apoiam Governo de Bashar al-Assad

  • Importantes acordos energéticos deverão ser assinados
  • Putin diz que Irão é bom vizinho e um parceiro fiável
  • Ambos países dizem partilhar posições relativamente a ameaça terrorista

Duas potências energéticas prontas a cooperar
A visita do presidente da República Islâmica do Irão a Moscovo é vista como um acertar de agulhas entre as duas economias, alvo de sanções internacional, impulsionadas por Washington e Bruxelas.

É a primeira visita oficial do chefe de Estado iraniano à Russia, desde a sua eleição, em 2013.

Durante um primeiro encontro com o primeiro-ministro Dimitri Medvedev, Hassan Rouhani disse esperar começar uma “nova etapa” nas relações entre os dois países.


Os media Estatais iranianos dizem que deverão ser assinados cerca de 10 acordos de cooperação entre russos e iranianos. O presidente Rouhani faz-se acompanhar pelo ministro dos Negócios Estrangeiros (Relações Exteriores), Mohammad Javad Zarif e pelo ministro do Petróleo, Bijan Zanganeh.

O chefe de Estado persa recordou que, para além de serem ambos países produtores de petróleo e de gás, o Irão e a Rússia poderiam cooperar noutros domínios.

A agência de notícias Estatal iraniana IRNA diz que o presidente iraniano insistiu no facto de que a cooperação entre o Irão e a Rússia não irá prejudicar países terceiros.


A Rússia é responsável pela construção de uma central nuclear no sul do Irão e deverá participar na construção de nove reatores num futuro próximo. Mas Moscovo e Teerão preveem também intensificar a cooperação militar. Em 2016, Moscovo forneceu a Teerão o sistema de defesa antiaérea S-300.

Aliados no teatro de operações sírio

Para além da cooperação económica, energética e militar, Hassan Rouhani e Vladimir Putin deverão abordar também o complexo tema da guerra na Síria, que já fez mais de 300 mil mortos desde 2011.

A força aérea russa e as milícias iranianas intervêm militarmente na Síria e prestam ajuda às forças do Governo de Bashar al-Assad, o que permitiu que o exército de Damasco recuperasse o controlo de Alepo, a segunda cidade mais importante do países.

Uma rivalidade “palpável” no terreno

No entanto, segundo a AFP, no entanto, são cada vez mais palpáveis as rivalidades entre russos e iranianos em terreno sírio.

O Irão, de maioria muçulmana chiita, intervém na guerra da Síria desde o início do conflito. Os russos marcam presença desde setembro de 2015, intervenção que determinou as várias derrotas impostas aos diferentes grupos rebeldes.

Os dois Estados divergem, por outro lado, acerda do papel da Turquia na região e no conflito. Moscovo considera que uma vitória no terreno passa por um acordo com Ancara, ponto de vista rejeitado pelos iranianos.

ALL VIEWS

Clique para descobrir