Última hora

Em leitura:

Estudantes e académicos contestam lei que ameaça universidade


Hungria

Estudantes e académicos contestam lei que ameaça universidade

Mega protesto em Budapeste mantém a pressão sobre o governo húngaro na sequência de uma lei controversa para encerrar a Universidade Centro-Europeia (CEU) fundada pelo magnata norte-americano, George Soros, em 1991.

Desde domingo, dezenas de milhares de pessoas protestam nas ruas da capital, uma das maiores manifestações contra o governo do primeiro-ministro, Viktor Orban, que dura há sete anos.

Ontem à noite milhares de pessoas mantinham-se firmes na contestação, estando prevista para amanhã novas acções, este estudante explica: “A manifestação de quarta-feira é muito importante, vamos ver quantas pessoas novas aparecem. O protesto de domingo já atraiu muita gente. Acredito que há uma nova classe política em desenvolvimento agora, especialmente entre os jovens, como eu. As gerações mais jovens estão mais ativas. “

O presidente da Hungria assinou segunda-feira o decreto sobre as universidades estrangeiras que poderá forçar este organismo internacional a sair do país.

Ao protesto juntaram-se mais de 500 académicos internacionais de renome, incluindo 17 prémios Nobel. Os intelectuais consideram este centro universitário como um dos mais importantes pólos do Pensamento na Hungria.

Há pontos de vista diferentes para cada história: a Euronews conta com jornalistas do mundo inteiro para oferecer uma perspetiva local num contexto global. Conheça a atualidade tal como as outras línguas do nosso canal a apresentam.

tradução automática

Coreia do Norte

Pyongyang preparada para eventual agressão dos EUA