Última hora

Estudantes e académicos contestam lei que ameaça universidade

Mega protesto em Budapeste mantém a pressão sobre o governo húngaro na sequência de uma lei controversa para encerrar a Universidade Centro-Europeia (CEU) fundada pelo magnata norte-americano, George

Em leitura:

Estudantes e académicos contestam lei que ameaça universidade

Tamanho do texto Aa Aa

Mega protesto em Budapeste mantém a pressão sobre o governo húngaro na sequência de uma lei controversa para encerrar a Universidade Centro-Europeia (CEU) fundada pelo magnata norte-americano, George Soros, em 1991.

Desde domingo, dezenas de milhares de pessoas protestam nas ruas da capital, uma das maiores manifestações contra o governo do primeiro-ministro, Viktor Orban, que dura há sete anos.

Ontem à noite milhares de pessoas mantinham-se firmes na contestação, estando prevista para amanhã novas acções, este estudante explica: “A manifestação de quarta-feira é muito importante, vamos ver quantas pessoas novas aparecem. O protesto de domingo já atraiu muita gente. Acredito que há uma nova classe política em desenvolvimento agora, especialmente entre os jovens, como eu. As gerações mais jovens estão mais ativas. “

O presidente da Hungria assinou segunda-feira o decreto sobre as universidades estrangeiras que poderá forçar este organismo internacional a sair do país.

Ao protesto juntaram-se mais de 500 académicos internacionais de renome, incluindo 17 prémios Nobel. Os intelectuais consideram este centro universitário como um dos mais importantes pólos do Pensamento na Hungria.