Última hora

Em leitura:

"Islamitas radicais" na origem de novo atentado em Londres


Reino Unido

"Islamitas radicais" na origem de novo atentado em Londres

As autoridades britânicas apontam para a eventual responsabilidade de islamitas radicais nos atentados de sábado à noite no sul de Londres.

Pelo menos 12 suspeitos foram detidos esta manhã no bairro de Barking, nos arredores da capital, por alegadas ligações às ações que provocaram pelo menos 7 mortos e 48 feridos. Os três autores do ataque foram abatidos pela polícia depois de atropelarem vários transeuntes em London Bridge, antes de esfaquearem vários clientes dos bares e restaurantes da zona de Borough Market. Entre os feridos encontram-se pelo menos três polícias.

Entrevistada pela televisão britânica sobre a identidade dos atacantes, a ministra do Interior, Amber Rudd, afirmou:

“Não posso avançar muito mais neste momento, mas como disse a primeira-ministra, acreditamos que se tratam de terroristas islamitas radicais, pela forma como ter-se-ão inspirado noutros ataques, mas precisamos de saber mais sobre a origem desta radicalização. Pensamos que é improvável que estivessem ligados ao atentado de Manchester, mas não podemos descartar nenhuma hipótese”.

Trata-se do terceiro atentado a atingir o Reino Unido desde março frente ao parlamento de Westminster. A polícia rejeitou, no entanto, voltar a elevar o alerta terrorista para o nível máximo, quando considera a situação “grave” mas não “crítica”.

Os atentados levaram os principais partidos britânicos a suspender, até ao final do dia, a campanha para as eleições legislativas de quinta-feira.