This content is not available in your region

Fogo Cruzado, a aplicação carioca anti-tiroteio

Access to the comments Comentários
De  Antonio Oliveira E Silva
Fogo Cruzado, a aplicação carioca anti-tiroteio

<p><strong>Com Jornal O Globo</strong></p> <p>O aumento da <strong>violência</strong> nas grandes cidades brasileiras tem vindo a preocupar o poder local e, sobretudo, os residentes das zonas afetadas, normalmente marcadas por fortes <strong>índices de pobreza</strong> e pela falta de infraestruturas.</p> <p>Uma das cidades é o <strong>Rio de Janeiro</strong>, onde a maioria dos que morrem em episódios de violência relacionados com armas de fogo são jovens, muitos dos quais, menores. </p> <p>Em <strong>2016</strong>, no entanto, surgiu uma ideia, iniciativa da organização pelos Direitos Humanos Amnistía Internacional que, não solucionando o problema, tem ajudado a vida de muitos residentes cariocas e que tem vindo a dar que falar nos <strong><em>media</em></strong> internacionais.<br /> <br /> <blockquote class="twitter-tweet" data-lang="pt"><p lang="pt" dir="ltr">Como o Plano Nacional de Seg. Pública do Governo Federal vai responder a esta questão? <a href="https://twitter.com/hashtag/JovemNegroVivo?src=hash">#JovemNegroVivo</a> <a href="https://twitter.com/hashtag/ChegaDeHomic%C3%ADdios?src=hash">#ChegaDeHomicídios</a> <a href="https://twitter.com/hashtag/InstintoDeVida?src=hash">#InstintoDeVida</a> <a href="https://t.co/guTSsfgCVe">pic.twitter.com/guTSsfgCVe</a></p>— AnistiaInternacional (@anistiabrasil) <a href="https://twitter.com/anistiabrasil/status/871797745237069826">5 de junho de 2017</a></blockquote><br /> <script async src="//platform.twitter.com/widgets.js" charset="utf-8"></script><br /> <br /> Uma aplicação, criada por brasileiros, conhecida como <a href="http://fogocruzado.org.br/">Fogo Cruzado</a>, disponível para os sistemas <strong>iOs</strong> e <strong>Android</strong>. </p> <p>Uma vez descarregada para o telemóvel (celular) de forma <strong>gratuita</strong>, permite que qualquer pessoa agregue informação sobre um tiroteio do qual tenha sido testemunha. Surge depois um ponto vermelho num mapa e ficam acessíveis a todos os detalhes sobre o incidente.</p> <p>Segundo a página da <a href="https://anistia.org.br/doe-agora/">AI no Brasil</a>, a ideia surgiu de investigações sobre tiroteios no Rio de Janeiro no ano de 2015, através de informações disponíveis na imprensa, relatórios da polícia e redes sociais</p> <p>Como muitos tiroteios não são tidos em conta pela polícia, a <strong>AI</strong> sentiu a necessidade de criar uma rede na qual todos os interessados pudessem participar.<br /> <br /> <strong>Região metropolitana do Rio com altos índices de violência armada</strong><br /> <br /> Segundo <strong>Atila Roque</strong>, diretor executivo da Amnistia Internacional no Brasil, a região metropolitana do Rio de Janeiro convive com “altos índices de violência armada.”</p> <p>Roque diz que, de acordo com o <a href="http://www.mapadaviolencia.org.br/">Mapa da Violência</a>, foram registados, na região, cerca de <strong>3500</strong> assassinatos por arma de fogo só em <strong>2012</strong>, na maioria dos casos, jovens com idades compreendidas entre os <strong>15</strong> e os <strong>29</strong> anos.</p> <p>“Essa violência armada, além de mortos e feridos, gera fortes impactos na rotina dos cidadãos, como a suspensão de aulas em escolas, fecho de postos de saúde e bloqueio de vias públicas (…)”, continuou o diretor da AI no Brasil.<br /> <br /> <blockquote class="twitter-tweet" data-lang="pt"><p lang="pt" dir="ltr">É tiro? Proteja-se e notifique no app. Baixe e ajude a montar esse mapa! Android <a href="https://t.co/0ngHIga7Ht">https://t.co/0ngHIga7Ht</a> iOS <a href="https://t.co/mPEB6bbxdn">https://t.co/mPEB6bbxdn</a> <a href="https://t.co/vFPjhAnesx">pic.twitter.com/vFPjhAnesx</a></p>— Fogo Cruzado (@fogocruzadoapp) <a href="https://twitter.com/fogocruzadoapp/status/879144724413779971">26 de junho de 2017</a></blockquote><br /> <script async src="//platform.twitter.com/widgets.js" charset="utf-8"></script><br /> <br /> Segundo o diário carioca <a href="https://oglobo.globo.com/">O Globo</a>, a aplicação passou primeiro por um <a href="https://oglobo.globo.com/rio/aplicativo-fogo-cruzado-comeca-mapear-tiroteios-no-rio-19647721">período de testes</a> nas comunidades do Jacarezinho, Manguinhos, Complexo da Maré, Complexo do Alemão, Acari, Cidade de Deus e Morro Agudo (cidade de Nova Iguaçu).</p>