Última hora

O diálogo entre África e UE através da sociedade civil

O impacto da sociedade civil está no coração de uma parceria estratégica que motivou o Fórum África-União Europeia, na Tunísia.

Em leitura:

O diálogo entre África e UE através da sociedade civil

Tamanho do texto Aa Aa

O Fórum da Sociedade Civil África-União Europeia foi organizado recentemente em Tunes. Objetivo: debater a parceria estratégica entre os dois blocos e determinar o impacto que a sociedade civil pode produzir em termos de mudança, sobretudo no continente africano.

“Nós temos consciência do papel importante que a sociedade civil tunisina desempenhou na transição democrática. O governo continua a apoiar o trabalho levado a cabo pela sociedade civil. A escolha da Tunísia é a de reforçar a imagem de uma jovem democracia que serve de ligação entre o espaço europeu e o espaço africano”, declara Iyad Dahmani, ministro dos Assuntos Parlamentares.

O fórum abordou eixos como a prevenção de conflitos, os refugiados, a governação em democracia e o desenvolvimento sustentável. Ao longo de três dias, os debates envolveram cidadãos, representantes europeus e da União Africana.

“Foi um bom exercício enquanto reflexão sobre o papel da sociedade civil na construção da paz em ambos os continentes. Não se trata apenas de falar sobre intervenções militares, trata-se de abordar um processo inclusivo, onde todos os atores estão empenhados no caminho da paz”, apontou Lulsegged Abebe, da União Africana.

Outro aspeto fundamental é implicar todas as gerações neste debate, sobretudo os mais jovens, não deixando que a ação se remeta apenas para a esfera política.

“Nós tivemos a participação de pessoas que estão realmente em contacto a nível local com os grandes problemas que debatemos, sejam as migrações, as alterações climáticas ou as questões de género. Tanto a sociedade civil da União Europeia, como da União Africana, necessitam de falar a uma só voz, se quiserem ter uma influência”, salientou Rosário Bento Pais, representante da Comissão Europeia.

O último fórum foi há 4 anos. Esta foi também uma oportunidade para fazer balanços. Foi adotada uma declaração conjunta que contém uma série de recomendações a transmitir aos chefes de Estado.

“Uma das sugestões que fizemos no fórum foi que a sociedade civil deve estar envolvida em todos os aspetos, todas as decisões da parceria África-União Europeia, o que significa uma implicação nos mecanismos de avaliação e na monitorização de todas as iniciativas tomadas até agora”, realçou Joan Lanfranco, da European Steering Group.

Este encontro serviu de antecâmara à cimeira União Europeia-África que se vai realizar em Abidjan, no final de novembro.