Última hora

Em leitura:

Israel decide remover detetores de metais em Jerusalém


Israel

Israel decide remover detetores de metais em Jerusalém

Israel decidiu remover os polémicos detetores de metais instalados na entrada da mesquita de Al-Aqsa, em Jerusalém Oriental ocupada, e substituí-los por câmaras de videovigilância de alta segurança.

Para alguns, a manobra poderá ser o prenúncio do fim da tensão sobre as medidas de segurança na Esplanada das Mesquitas, que levou a uma tomada de posição das Nações Unidas, mas ao que parece não vai ao encontro das exigências dos muçulmanos.

O emissário das Nações Unidas para o Médio Oriente chegou a dizer que a “crise tem de estar resolvida até sexta-feira” para evitar um aumento dos riscos de escalada de tensão com a entrada num novo ciclo de oração.

“Pessoa alguma deve pensar, de forma errada, que estes eventos são localizados. Têm potencial para gerar custos catastróficos muito para além dos muros da Cidade Velha, de Israel e da Palestina. Muito para lá do próprio Médio Oriente”, sublinhou, esta segunda-feira, Nikolay Mladenov.

Hoje, o Conselho de Segurança das Nações Unidas deverá voltar a reunir-se para analisar o conflito israelo-palestiniano.

Violência gera violência e por isso mesmo o clima de alta tensão vivido nos últimos dias despoletou receios do risco de contágio.