Última hora

Última hora

Eleições Angola2017, Abel Chivukuvuku (CASA/CE): Acabar com a pobreza e a corrupção

Licenciado em Relações internacionais, é casado, tem três filhos e é famoso pelos beijinhos que distribui aos apoiantes durante os comícios.

Em leitura:

Eleições Angola2017, Abel Chivukuvuku (CASA/CE): Acabar com a pobreza e a corrupção

Tamanho do texto Aa Aa

O líder da Convergência Ampla de Salvação de Angola – Coligação Eleitoral (CASA – CE) criou este novo movimento a 3 de abril de 2012, após sair da UNITA, em 2010, devido a divergências com Isaías Samakuva.

Abel Epalanga Chivukuvuku, de 59 anos, ganhou o epíteto de “candidato do beijinho” pois não se coíbe de distribuir estes cumprimentos pela multidão que assiste aos comícios, em especial às “zungueiras”, nome dado em Angola às vendedoras ambulantes.

Caso consiga ser eleito chefe de Estado, o líder da CASA – CE, promete acabar com a corrupção em Angola, “com o açambarcamento do erário público, com o desperdício, com a má governação” e com a “insensibilidade que caracteriza o atual Governo”. Chivukuvuku afirma que “não há razão para continuar a votar num partido (MPLA) que em 42 anos não foi capaz de resolver os problemas básicos da população.”

Abel Chivukuvuku concorre, pela segunda vez, ao mais alto cargo da nação angolana (a primeira foi em 2012) e promete também erradicar a fome do país em cinco anos e a pobreza extrema em dez.

Chivukuvuku é licenciado em Relações internacionais, pela Universidade da África do Sul. É casado e tem três filhos. Ingressou na UNITA em 1974 chegando a chefe adjunto dos Serviços de Informação do movimento em 1980.



Representou o “Galo Negro” em Portugal, Reino Unido e na Organização das Nações Unidas. Em, 1993, com o retomar da Guerra Civil, foi ferido e mantido sob custódia do MPLA, em Luanda, durante um ano.

Chivukuvuku foi deputado da Assembleia Nacional, assumindo a liderança da bancada da UNITA em 1997-98. Foi eleito secretário para os assuntos parlamentares, constitucionais e eleitorais em 2002.