This content is not available in your region

Eleições Angola2017, João Lourenço (MPLA): Combater a corrupção e investir

Access to the comments Comentários
De  Euronews
Eleições Angola2017, João Lourenço (MPLA): Combater a corrupção e investir

<p>João Lourenço é o vice-presidente do Movimento Popular de Libertação de Angola (<span class="caps">MPLA</span>) e é apontado como o eventual sucessor de José Eduardo dos Santos, que lidera o país desde 1979.</p> <p>O candidato da continuidade tem 63 anos, licenciou-se em Ciências Históricas na antiga União Soviética. É casado com a ex-ministra do Planeamento e consultora do Banco Mundial, Ana Dias Lourenço, com quem tem seis filhos.</p> <p>Em julho abandonou a pasta da Defesa, cargo que detinha desde 2014, para se dedicar à campanha eleitoral.</p> <p>Antes de chegar ao executivo de José Eduardo dos Santos, João Lourenço foi governador de Benguela e do Moxico, entre 1992 e 1997. Foi ainda secretário para a informação do gabinete Político do <span class="caps">MPLA</span> e deputado na Assembleia Nacional, entre 1999 e 2008.</p> <p><div align="center"><iframe src="https://www.facebook.com/plugins/video.php?href=https%3A%2F%2Fwww.facebook.com%2FMplaoficial%2Fvideos%2F1583360055064889%2F&show_text=0&width=560" width="560" height="316" style="border:none;overflow:hidden" scrolling="no" frameborder="0" allowTransparency="true" allowFullScreen="true"></iframe></div></p></p> <p>Caso o <span class="caps">MPLA</span> vença as eleições, João Lourenço promete combater a corrupção, em Angola, e investir mais no país, criando as infraestruturas básicas para o desenvolvimento da economia. </p> <p>O sucessor escolhido pelo atual Presidente exortou os angolanos a fazerem regressar ao país o dinheiro que têm no exterior. Num comício, a poucos dias do escrutínio, Lourenço apelou aos “compatriotas que têm recursos avultados” fora do país a investirem na economia nacional, dando “garantias” de que quem o fizer “não vai perder esses valores.”</p> <p>O apelo não se limitou aos concidadãos que apoiam o seu partido, mas a todos os “patriotas” angolanos, não obstante ter feito uma clara referência aos seus adversários de longa data.</p> <p><div style="float: none; clear: both; width: 100%; position: relative; padding-bottom: 56.25%; padding-top: 25px; height: 0;"><br /> <iframe style="position: absolute; top: 0; left: 0; width: 100%; height: 100%;" src="https://www.youtube.com/embed/hOTpa9K6BZQ" frameborder="0" allowfullscreen></iframe><br /> </div></p></p>