Última hora

Festival de cinema de Toronto em modo feminista

Este ano, a organização do festival anunciou que iria dar mais visibilidade às realizadoras.

Em leitura:

Festival de cinema de Toronto em modo feminista

Tamanho do texto Aa Aa

Este ano, o filme de abertura do festival de cinema de Toronto retrata o mundo do ténis.

“Borg/McEnroe” do dinamarquês Janus Metz Pedersen mostra o confronto mítico entre o colérico John McEnroe e Bjorn Borg, na final de Winbledon de 1980.

O festival canadiano, que lança tradicionalmente, a corrida aos Óscares na América do Norte, tem em 2017 um cardápio reduzido face aos anos anteriores. Mesmo assim, o público e os críticos têm a oportunidade de ver 260 filmes de setenta e quatro países.

“Toronto é um festival virado para o público, apesar de toda a imprensa presente. O público pode comprar mais facilmente bilhetes. Os realizadores gostam de mostrar os filmes em Toronto.
Pensam que se conquistarem o público aqui, ficam no bom caminho para o sucesso nos Óscares”, sublinhou Peter Howell, presidente da associação de críticos de cinema de Toronto.

Este ano, a organização do festival anunciou que iria dar mais visibilidade ao cinema no feminino. Um terço dos filmes apresentados são de realizadoras, um feito raro no mundo muito masculino da sétima arte.

“Battle of the sexes” é uma das longas-metragens em destaque em Toronto. O filme da norte-americana Valerie Faris conta com Emma Stone no papel da tenista Billie Jeen King.