Última hora

Theresa May resiste a imprevistos durante discurso

A primeira-ministra foi vítima de problemas de garganta, da interência de um comediante e até de um cenário traiçoeiro, mas conseguiu acabar o que tinha para dizer aos camaradas Conservadores

Em leitura:

Theresa May resiste a imprevistos durante discurso

Tamanho do texto Aa Aa

A primeira-ministra britânica teve quarta-feira um verdadeiro teste e desta vez não foi à governação. Foi mesmo o de manter o controlo e levar até ao fim a tarefa que tinha em mãos apesar dos obstáculos imprevistos.

Durante um discurso na conferência do Partido Conservador, em Manchester, Theresa May não se atrapalhou e até sorriu quando um comediante lhe entregou um papel simbolizando o despedimento da chefe de Governo.

Mas não foi apenas a interferência de Simon Brodkin a atrapalhar a líder dos Conservadores. Sucessivos problemas de garganta e ataques de tosse também a obrigaram a interromper o discurso várias vezes, mas Theresa May não se rendeu às dificuldades.


Com a ajuda de água e impulsionada pelos aplausos dos camaradas, a chefe de Governo conseguiu levar o discurso até ao fim.

Nem mesmo o cenário a desfazer-se, com a queda de letras na frase “construindo um país que funcione para todos”, atrapalhou a primeira ministra do Reino Unido.


A acutilante imprensa britânica é que não deixou passar em claro os momentos atribulados no discurso de May.

O The Times colocou os “problemas no discurso” de May na manchete.

O Daily Telegraph puxou a título “a azarada May” numa “trágica farsa”.

O The Sun brincou com a queda das letras do cenário.


O The Independent diz que foi a conferência dos tropeções.

O Daily Express sublinha o espírito lutador de Theresa May.

O Daily Mail diz que, “depois disto, o Brexit vai ser canja.”

Quando aos deputados britânicos. Os da oposição viram nestes momentos atribulados de Theresa May um reflexo do país em rota para concretizar o “Brexit”. Os apoiantes destacam a capacidade da primeira-ministra em ultrapassar os imprevistos e levar por diante o trabalho a que se propõe.


A própria Theresa May viria a brincar com a situação e acabaria por promover na respetiva conta pessoal na rede social Twitter alguns dos medicamentos que estaria a tomar para combater os respetivos problemas de garganta. Falta saber é se esta terá sido boa ou má publicidade….