This content is not available in your region

UNICEF: Angola e Guiné-Bissau são dos países com taxa de mortalidade infantil mais elevada

Access to the comments Comentários
De  Euronews
UNICEF: Angola e Guiné-Bissau são dos países com taxa de mortalidade infantil mais elevada

<p>Angola e a Guiné Bissau estão no grupo de países com piores taxas de mortalidade infantil até aos cinco anos. Ainformação é divulgada num relatório divulgado da agência das Nações Unidas <span class="caps">UNICEF</span>.</p> <p>Na Guiné-Bissau, morreram 88 crianças por cada mil que nasceram no ano passado. Em angola, o número de crianças que morreram foi de 83, especifica o documento.</p> <p>A Somália, com 133 mortes por mil nascimentos, tem o pior resultado do mundo. Seguem-se o Chade (127), a República Centro Africana (124), a Serra Leoa (114), o Mali (111), a Nigéria e República Democrática do Congo, (94), o Benim (98), o Níger e a Guiné Equatorial (91).<br /> <br /> <strong>Outros países lusófonos com resultados mais positivos</strong><br /> <br /> Outros países lusófonos africanos têm um resultado mais positivo: Moçambique registra 71 por mortes por mil crianças, enquanto que em São Tomé e Príncipe são 34 e em Cabo Verde são 21.</p> <p>No Brasil, registam-se 15 mortes e em Timor Leste 50. Em Portugal, o número é de quatro mortes por cada criança que nasce.</p> <p>Segundo o mesmo relatório, cerca de 15 mil crianças com menos de cinco anos morreram em 2016 em todo o mundo e 46% destas morreram nos primeiros 28 dias de vida.</p> <p>Apesar de se ter registado uma descida da mortalidade nos primeiros cinco anos de vida, de 9,9 milhões de mortes em 2000 para 5,6 milhões em 2016, a proporção de recém-nascidos entre os falecidos aumentou de 41% para 46% neste período.</p> <p>O estudo foi elaborado pelo Grupo Interinstitucional para a Estimativa da Mortalidade Infantil das Nações Unidas, que inclui a Unicef, a Organização Mundial de Saúde e o Banco Mundial.<br /> <br /> <strong>Com Lusa</strong><br /> <br /> </p>