Última hora

Última hora

Tiger Woods admite-se culpado de condução perigosa e evita prisão

O jogador profissional de golfe evitou pena de prisão e condenação por condução sob influência de substâncias tóxicas, mas fica sob 12 meses de liberdade condicional.

Em leitura:

Tiger Woods admite-se culpado de condução perigosa e evita prisão

Tamanho do texto Aa Aa

O jogador profissional de golfe Tiger Woods declarou-se culpado, esta sexta-feira e perante um tribunal da Florida, de condução perigosa.

Aderiu a um programa para primeiras infrações, evitando assim uma condenação por condução sob influência de substâncias que remete para a primavera passada.


Woods, de 41 anos e segundo no ranking do golfe com 14 grandes títulos masculinos, mas que não ganha um campeonato relevante desde 2008, foi encontrado a dormir em maio, atrás do volante do carro, estacionado numa estrada relativamente perto da sua residência.

Na altura, Tiger Woods declarou à polícia estar a regressar de Los Angeles, mas não se lembrar para onde ia.

De acordo com um relatório de toxicologia Woods tinha 5 substâncias tóxicas na corrente sanguínea, 4 delas oriundas de medicamentos, sendo a quinta THC, ingrediente ativo da marijuana.

Woods já perfez 50 horas de trabalho comunitário integradas no programa para primeiras ofensas, mas fica sob liberdade condicional por 12 meses.

Tiger Woods esteve envolvido, em 2009, num bizarro acidente de automóvel no exterior da sua residência, em Orlando. O incidente escalou até ao rebentar de um escândalo sexual envolvendo alegações de relações extramaritais, que levou ao fim do casamento de Woods e teve um impacto enorme na carreira do golfista.