Última hora

Última hora

Medo persiste no Zimbabué rural

Medo nos campos do Zimbabué contrasta com otimismo nas ruas de Harare

Em leitura:

Medo persiste no Zimbabué rural

Tamanho do texto Aa Aa

A queda do regime de Robert Mugabe deixou o Zimbabué com um caminho sinuoso pela frente. Apesar do otimismo nas ruas de Harare, nas zonas rurais ainda não chegou o vento de mudança. O medo continua presente e a liberdade de expressão está longe de ser um dado adquirido. Reina o medo, o medo de responder a uma simples pergunta.

A polémica e violenta expulsão dos agricultores brancos que teve início no ano 2000 deixou o país mergulhado numa profunda crise económica. O Produto Interno Bruto do Zimbabué caiu para metade entre 2000 e 2008.

Quem ficou, agora suspira por investimento estrangeiro que permite recuperar aquela que em tempos foi uma das agriculturas mais pujantes do continente africano.

No primeiro discurso, Emmerson Mnangagwa prometeu empregos, uma promessa corajosa ou não tivesse o país cerca de 90% de desemprego entre a população ativa. O número assusta qualquer um… menos o novo presidente do país.