Última hora

Última hora

Berço olímpico: Panatenaico ainda aguarda o regresso dos anéis

Em leitura:

Berço olímpico: Panatenaico ainda aguarda o regresso dos anéis

Tamanho do texto Aa Aa

O estádio Panatenaico é uma das principais atrações de Atenas. Berço dos Jogos Olímpicos da era moderna, é o terceiro monumento mais visitado da capital grega atrás do Pártenon e do museu da Acrópole.

É o único estádio feito de mármore no mundo. Somente desde a reabertura em 2010, mais de 1,2 milhões de pessoas já o visitaram.

Palco da primeira edição, em abril de 1896, dos Jogos Olímpicos da era moderna, serão poucos os visitantes que ficam indiferentes ao esoterismo do local. "Sente-se o peso da história. Foi aqui que tudo começou", disse à euronews um turista inglês, referindo-se às olimpíadas.

Há um guia áudio em onze idiomas, incluindo português, para os visitantes do Estádio Panatenaico conhecerem a história olímpica. Mas nem tudo é bom. Faltam os anéis olímpicos.

A última vez que os anéis foram instalados no Panatenaico foi em 2004, quando as olimpíadas voltaram a Atenas. Em 2011, foram retirados por alegadas preocupações estruturais e o Conselho Central de Monumentos Modernos recusa reinstala-los por não considerar o estádio uma infraestrutura olímpica.

O presidente do Comité Olímpico Grego, organismo que detém o recinto, lamentou à nossa reportagem que "todos os visitantes perguntam pelos anéis".

"É uma pena! Infelizmente, devido a burocracia, o Ministério da Cultura retirou-os do estádio. Esperamos que um dia o Panatenaico receba os anéis de volta. Os anéis pertencem ao estádio e à história da Grécia", afirmou Spyros Capralos. Giannis Giaginis, correspondente da euronews em Atenas, sublinha que "é no Estádio Panatenaico que as autoridades gregas entregam a chama olímpica ao comité organizador de cada edição dos Jogos Olímpicos".

"Desde que perdeu os anéis, existem apenas as duas bandeiras na entrada para lembrar aos visitantes que foi neste estádio que nasceram os Jogos Olímpicos em 1896", conclui o nosso jornalista.