Última hora

Última hora

Já há um português a 'viver' em Marte

Em leitura:

Já há um português a 'viver' em Marte

Já há um português a 'viver' em Marte
Tamanho do texto Aa Aa

As paisagens áridas do deserto do Sultanato de Omã, na Península Arábica, onde as temperaturas chegam aos 51 graus centígrados, são, durante todo o mês de fevereiro, palco de uma experiência única: uma simulação de uma missão a Marte, particularmente relevante poucos dias depois da SpaceX ter lançado com sucesso o mais potente foguetão do mundo, um passo importante na direção do planeta vermelho.

Kartik Kumar, "astronauta análogo": "Elon Musk e a sua equipa acabam de provar que o Falcon Heavy funciona, o que nos coloca agora num âmbito completamente distinto daquilo que podemos enviar para o Espaço longínquo, para Marte."

A experiência foi organizada pelo Fórum Espacial Austríaco, em colaboração com as autoridades de Omã. Todas as atividades humanas na superfície marciana "simulada" são executadas por cinco cientistas apelidados de "astronautas análogos", entre os quais se conta o português João Lousada:

"Os primeiros passos em Marte serão dados nos próximos 20 ou 30 anos. Acreditamos que a tecnologia nos vai conduzir naturalmente para lá. [...] O que isso significa é que a primeira pessoa a caminhar em Marte já terá nascido e estará talvez atualmente numa escola primária em Omã, na Europa, nos Estados Unidos ou na China."

Num vídeo divulgado pelo Fórum Espacial Austríaco, Lousada explica alguns detalhes da missão:

O Centro de Apoio à Missão está localizado em Innsbruck, na Áustria, e comunica com a "base marciana" com um atraso de 10 minutos, para simular o tempo de viagem das mensagens entre a Terra e Marte.

Durante as quatro semanas de missão, serão conduzidas duas dezenas de experiências com a participação de organizações de pesquisa de 25 países, com o objetivo último de melhoras tecnologias e conhecimentos com vista à tão sonhada viagem ao planeta vermelho.

A missão pode ser acompanha em direto na página do Fórum Espacial Austríaco e através do Instagram, do Facebook e do Twitter.