Última hora

Última hora

Rusgas e detenções na investigação sobre a morte de Jan Kuciak

Em leitura:

Rusgas e detenções na investigação sobre a morte de Jan Kuciak

Tamanho do texto Aa Aa

A polícia eslovaca levou a cabo várias rusgas a residências onde se encontravam suspeitos de ligação ao crime organizado italiano.

Suspeita-se que Jan Kuciak, jornalista de 27 anos, e a namorada, foram assassinados pela 'Ndragheta, como é conhecida a máfia com orígem na região italiana de Reggio Calábria.

Tibor Gaspar, chefe nacional da Polícia Eslovaca, disse aos jornalistas que sete pessoas tinham sido detidas, homens com idades entre os 26 e os 62 anos. Todos são considerados suspeitos pelo procurador de Justiça.

As rusgas tiveram lugar nas localidades de Michalovce e Trebisov. De acordo com os media eslovacos, um dos detidos seria Antonino Vadala, um homem de negócios que terá tido contactos com o primeiro-ministro Robert Fico.

Dois membros do Governo de Fico demitiram-se na quarta-feira, na sequência da divulgação do assassinato do jornalista e da namorada.

Os corpos de Jan Kuciak e de Martina Kusnirova foram encontrados no domingo à noite na sua residência em Velka Maca, a leste da capital, Bratislava. Ambos morreram vítimas de disparos.

A última reportagem que Kuciak preparava relacionava-se com as atividades do ramo eslovaco da 'Nadragheta na Eslováquia.