Última hora

Última hora

A XIX edição de uma Cartoon Xira cada vez mais internacional

Em leitura:

A XIX edição de uma Cartoon Xira cada vez mais internacional

Tamanho do texto Aa Aa

Oscar Grillo é o convidado internacional deste ano na Cartoon Xira, a exposição que já vai na XIX edição.

Filho de mãe portuguesa, nascido na Argentina e a viver em Londres desde 1971, Oscar Grillo, hoje com quase 75 anos, expõe, pela primeira vez em Portugal.

Nesta retrospetiva, intitulada “desenhos desordenados” podem ver-se – paradoxalmente por ordem cronológica – obras que vão de 1960 – quando Grillo tinha apenas 16 anos – a 2017. Algo que quase assusta o cartoonista argentino:

“Foi um erro que cometi, já que o António não tem piedade e escolheu coisas que eu deveria ter queimado. Só não as queimei porque o papel poderia servir-me para desenhar por trás. E por isso estão aqui,” explicou à euronews.

São desenhos extremamente gráficos, onde a tinta da China prima, pontuados, aqui e ali, por um traço ou uma pincelada de cor. Grillo conduz-nos a um universo de tango e de fantasia, uma vezes irónico e crítico, outras naïf e outras, atormentado.

Uma obra imensa, em qualidade e em quantidade, como explicou à euronews António Antunes, o curador da Cartoon Xira 2018:

“Foi o embaraço da escolha. Ele tem milhares de desenhos, para escolher 100 foi difícil. Aquilo que tentei fazer, foi trazer aqui um percurso que vem desde os desenhos de juventude até à atualidade, com as evoluções e os avanços, os recuos, as influências, os períodos… Acho que é muito rico. Desse ponto de vista, é uma exposição muito rica.”

A segunda parte da exposição passa em revista o ano que terminou, através do olhar dos cartoonistas portugueses.

Trump e Kim Jong-Un são uma inesgotável fonte de inspiração para cartoonistas como o próprio António, mas também Gargalo, Cristina, Monteiro ou Carrilho.

Ao todo, são 12 cartonistas portugueses expostos na Cartoon Xira, que decorre, pela primeira vez, na Fábrica das Letras, a novel biblioteca vilafranquense. Em causa, as obras na sede histórica: o Celeiro da Patriarcal.

Alberto Mesquita, o presidente da Câmara Municipal de Vila Franca de Xira, está satisfeito com o resultado final:

“Fiquei agradavelmente surpreendido pelo efeito que esta exposição tem e acho que não desmerece nada aquelas que já fizemos no Celeiro da Patriarcal.”

A marcar igualmente 2017, estiveram a crise dos Rohingyas, o Brexit, a extrema-direita europeia ou ainda a pretenção separatista da Catalunha.

A nível nacional, os incêndios foram um dos temas mais quentes do ano, com críticas à então ministra Constança Urbano de Sousa – que teve o ‘fair play’ de posar ao lado da sua caricatura.

A morte de Mário Soares, a chegada de Mário Centeno à presidência do Eurogrupo, as selfies do presidente Marcelo Rebelo de Sousa ou a vitória de Salvador Sobral no Festival da Eurovisão também deram asas aos desenhadores.

A Cartoon Xira são 200 cartoons para ver na Fábrica das Palavras, até 8 de Julho, em Vila Franca de Xira.

Mais sobre Cult