Última hora

Última hora

Los Angeles acolhe mural "sem censura"

Em leitura:

Los Angeles acolhe mural "sem censura"

Tamanho do texto Aa Aa

A cidade de Los Angeles recuperou o mural que foi censurado há cerca de quatro décadas.

A obra foi criada pela artista Barbara Carrasco para comemorar o bicentenário da cidade em 1981, mas acabou por não ver a luz do dia. Desde logo, por apresentar a história de um ponto de vista considerado "demasiado mexicano." A decisão, por exemplo, de mostrar o rosto de Biddy Mason, o último escravo de Los Angeles, também, não foi bem recebida na época. A censura falou mais alto e a artista foi convidada a eliminar o conteúdo considerado sensível do mural intitulado "Los Angeles: uma perspetiva mexicana. "

A artista recusou apagar as imagens - 14 no total - que agora podem ser vistas no Museu de História Natural da cidade.

"Quando me pediram para eliminar algumas cenas, pensei que podia fazê-lo, que era o mais fácil, mas disse para mim mesma que era importante lutar contra todo o tipo de censura. E ainda penso assim, especialmente nos dias de hoje dado o atual clima político. Penso que é importante que os artistas se levantem e mostrem o que está a acontecer" refere a artista Barbara Carrasco.

A artista recusou, na altura, maquiar a história de um povo fundado em 1789 por espanhóis, índios e escravos e batizada "Nossa Senhora a Rainha dos Anjos de Porciúncula" em homenagem à Ordem franciscana.

A cidade que foi espanhola até 1821 rende, agora, homenagem à história e à arte com uma exposição que deixou à porta a censura e que pode ser vista até meados de agosto.