Última hora

Última hora

América Latina é a região com mais homicídios no Mundo e Brasil não é inocente

Em leitura:

América Latina é a região com mais homicídios no Mundo e Brasil não é inocente

© Copyright :
REUTERS/Alan Lima/ Arquivo
Tamanho do texto Aa Aa

O Brasil lidera um dos "rankings" menos desejados do mundo. Um estudo publicado esta semana pelo Instituto Igarapé conclui que a América Latina é a região mais perigosa do mundo e as cidades brasileiras so as mais representadas no top-10 das que têm maior taxa de assassínios no planeta.

Em conjunto com as Caraíbas, a América do Sul concentra oito por cento da população mundial, mas em termos de crime representa 33 por cento dos homicídios registados no mundo.

Em termos comparativos, entre 2012 e 2015, na Europa foram assassinadas 2,38 pessoas por cada 100 mil habitantes; em África, os homicídios ascendem às 10,38 pessoas/ 100 mil habitantes; no conjunto das Américas, o número sobe para as 21,7/ 100 mil habitantes.

De acordo com últimos dados consultados pelo Igarapé, El Salvador continuava a ser o país mais perigoso do mundo, com 3954 homicídios registados, o equivalente a uma taxa de 60 assassinatos/ 100 mil habitantes. Em segundo, surge a Jamaica (1616= 56/100 mil) e, em terceiro, a Venezuela (16.046= 53,7/ 100 mil).

No "ranking" por países, o Brasil surge em 11.°, com 57.395 homicídios (27,8/ 100 mil), mas no top das cidades mais perigosas do mundo, que é liderada pela capital de El Salvador, há três brasileiras entre as 10 mais perigosas.

Marabá (207 homicídios/ taxa de 79,9), Grande São Luís (868/ 74,5) e Ananindeua (616/ 69,6) colocam o Brasil como o país mais representado no top-10 das cidades mais perigosas do mundo.

Selecionando apenas quatro países da América do Sul, o estudo do Igarapé sublinha que só o Brasil representava 13 por cento do total de homicídios registados em todo o mundo, com mais do dobro dos registados no México e o triplo dos registados quer na Colômbia quer na Venezuela.

Os assassínios relacionados a gangues ou crime organizado representam a maior fatia na América Latina (26 por cento), seguido pelos assaltos, um tipo crime de que a América do Sul detém a maior taxa mundial.