Última hora

Última hora

Crianças de todo o mundo jogam em Moscovo

Em leitura:

Crianças de todo o mundo jogam em Moscovo

Crianças de todo o mundo jogam em Moscovo
Tamanho do texto Aa Aa

Raparigas e rapazes de todos os continentes unidos em torno do futebol. A sexta edição do programa "O Futebol em prol da Amizade" implementado pela empresa russa Gazprom reuniu em Moscovo crianças de 211 países.

"Trata-se de um projeto social. Não se trata apenas de futebol mas também de amizade e comunicação entre as crianças. Através da comunicação, os participantes põem em prática os nove valores promovidos pelo programa, a paz e a igualdade são os mais importantes e creio que eles conseguem fazê-lo", declarou Viktor Zubkov, presidente do conselho diretivo da Gazprom.

Divididos em 32 equipas (com nomes que fazem referência a espécies em vias de extinção), os participantes tiveram a oportunidade de participar num torneio na Rússia, nas vésperas do campeonato do mundo.

"Estou feliz porque fiz muitos amigos do mundo inteiro. Venho da Coreia do Sul, ele vem da Coreia do Norte, conhecemo-nos aqui e tornámo-nos o melhor amigo um do outro", contou Chanwoo Kim, da Coreia do Sul.

Após o torneio, todas as crianças receberam um bilhete para ver o primeiro jogo do campeonato entre a Rússia e a Arábia Saudita.

"É uma grande honra poder jogar na Rússia durante o campeonato do mundo, é uma oportunidade que surge uma vez na vida, não tenho palavras para dizer o que sinto. É magnífico", disse Swan Dram, participante da França.

As equipas são compostas por raparigas e rapazes. A igualdade é um dos valores promovidos pelo programa.

"Estou muito orgulhosa por estar aqui. Quero tornar-me numa grande jogadora, como o Juan Mata", exclamou Wadia Chery, do Haiti.

Nem todos sonham em ser jogadores, há também quem queira seguir uma carreira de árbitro.

"O futebol é algo que propicia a amizade porque os jogadores no terreno estão em situação de igualdade. É uma grande experiência para mim porque quero ser árbitro no futuro. Aqui posso trocar experiências com outros árbitros e ver como jogam os jogadores de outros países", contou Bogdan Batalin, da Sibéria.

A equipa dos chimpanzés venceu o torneio, graças a um sólido trabalho de equipa.

"Estou muito feliz, isto é maravilhoso", disse Jerónimo Rodríguez, um dos jogadores da equipa vencedora, originário da Colômbia.

Este ano o número de participantes no programa russo quase quadruplicou. O guarda-redes russo Aleksandr Kerzhakov explica o segredo do sucesso do programa implementado pela Gazprom.

"A cada ano que passa o programa abrange mais países e continentes. Graças às raparigas e aos rapazes e à mensagem que eles vão transmitir aos outros quando voltarem para casa, é possível mudar o mundo para melhor", contou o jogador do FC Zenit São Petersburgo.