Japão invencível na prova de equipas mistas de Tashkent

Access to the comments Comentários
De  Euronews
o Japão termina os Mundiais de Tashkent de 2022 como líder incontestado da tabela de medalhas.
o Japão termina os Mundiais de Tashkent de 2022 como líder incontestado da tabela de medalhas.   -   Direitos de autor  International Judo Federation   -  

Teve lugar esta quinta-feira a competição de equipas mistas, que encerra a prova dos Mundiais de Tashkent, no Uzbequistão.

O conceito é simples: Cada equipa tem seis elementos - três homens e três mulheres. Cada judoca combate contra um adversário do mesmo sexo e da mesma categoria de peso e ganha a equipa com mais combates vencidos.

Em todas as edições anteriores desde o seu início em 2017, o Japão esteve na final e, desde 2018, têm disputado sempre o título com a França. Nas três primeiras edições a vitória foi para o Japão mas em 2020 a França quebrou a onda nipónica de vitórias e tornou-se campeã olímpica por equipas mistas.

Esta quinta-feira, o Japão regressou para reclamar o título. O país-berço do Judo começou bem, com o waza-ari de Goki Tajima contra o francês Alexis Mathieu, e depois o ippon da vitória.

A recém-coroada campeã mundial da França, Romane Dicko, não perdeu tempo para igualar o resultado, derrotando a medalhista mundial de bronze Wakaba Tomita.

O judoca Hyoga Ota marcou duas pontuações de waza-ari, conquistando a vitória em pesos pesados contra o francês Joseph Terhec.

Pouco depois, a França saíu mais uma vez por cima, com a medalhista olímpica Sarah Leonie Cysique a prevalecer sobre Haruca Funakubo, por duas grandes pontuações de waza-ari.

O desempate não tardou, desta vez pelas mãos do nipónico Kenshi Harada, que derrotou o francês Joan Gaba, colocando o resultado a 3-2.

A França respondeu com a sua ex-campeã mundial Marie Eve Gahie, que lutou contra a medalhista de bronze mundial Saki Niizoe, um combate que levou o público na assistência ao rubro.

O desempenho excepcional da nipónica garantiu-lhe a derradeira vitória com um resultado final de 4-2. O Japão é, assim, o país vencedor de todas as medalhas de ouro da prova por equipas, à excepção da olímpica.

O Kenshi Harada passou-me a tocha e eu sabia que tinha a responsabilidade de terminar da melhor maneira para o Japão, e estou muito feliz por ter feito isso.
Saki Niizoe

Os cinco títulos mundiais em equipas do Japão deverão colocar a França em alerta máximo para a defesa do título em Paris 2024.

O vice-presidente da Federação Internacional de Judo (FIJ) e presidente da União Europeia de Judo, Laszlo Toth, apresentou as medalhas de ouro da equipa.

Tal como nos Olímpicos, a equipa da Alemanha e de Israel conquistaram as medalhas de bronze.

Eu sabia que tinha um papel muito importante porque fui o primeiro a lutar, mas consegui fazer o meu jogo, que se viu no tapete.
Goki Tajima

Além de conseguir a vitória na prova por equipas, o Japão termina os Mundiais de Tashkent de 2022 como líder incontestado da tabela de medalhas.

A Federação Internacional de Judo congratulou-se por realizar os Mundiais em Tashkent, um país em vias de desenvolvimento económico, social e cultural.

O presidente da Federação de Judo do Uzbequistão, Azizjon Kamilov, o Secretário Geral da FIJ, Jean-Luc Rougé, e o Secretário Geral da Federação de Judo do Catar, Eid Ali Al-Muraikhi, reuniram-se para passar a bandeira da federação ao Qatar, a nação anfitriã dos Mundiais de Doha em maio do próximo ano.