Última hora

Última hora

O alívio com a nacionalização do Bankia

Em leitura:

O alívio com a nacionalização do Bankia

Tamanho do texto Aa Aa

O Bankia continuou a descida aos infernos esta quinta-feira em Madrid. As ações do quarto banco espanhol perderam 1.1% no fecho da sessão. O título caiu 15 % esta semana.

No entanto, os investidores mostram-se mais favoráveis à nacionalização parcial do Bankia.

A conversão em ações de uma linha de crédito pública de 4,5 mil milhões de euros é, na verdade, um alívio.

Mas as necessidades de refinanciamento do Bankia são bem maiores.

O Bankia nasceu em 2010, fruto de sete caixas de aforro em dificuldades. A atividade divide-se entre aforro e créditos a empresas e particulares. Em carteira: 32 mil milhões de euros em produtos imobiliários duvidosos. Mais de 10% da totalidade dos ativos.

A juntar a isso, o banco realiza os negócios essencialmente numa Espanha em recessão, onde tem 10 milhões de clientes. Contrariamente ao Santander ou ao BBVA, não pode vender ativos no estrangeiro para arrecadar dinheiro.

A entrada em bolsa em julho passado tinha como objetivo contornar estes obstáculos.

O Bankia conseguiu mais de três mil milhões de euros, graças à venda de títulos aos próprios clientes, alegando tratar-se de um investimento sólido. Desde então, o valor das ações caiu mais de 40% com os detentores de títulos a suportar as perdas.