Última hora

Última hora

E depois do Adeus ao Euro 2012

Em leitura:

E depois do Adeus ao Euro 2012

Tamanho do texto Aa Aa

O dia de trabalho para os voluntários do Euro 2012 começa cedo. Olesj Gomernyk começa a trabalhar às 6 da manhã. Gomernyk tem 21 anos é estudante e quer ser veterinário mas, nos últimos dias, ajudou os fãs estrangeiros a não se perderem numa cidade nova para eles. Ele diz, pela reação dos fãs, no regresso a casa, que os voluntários ucranianos conseguiram cumprir a sua tarefa.

“Eles aproximaram-se e disseram: “Não esperávamos divertir-nos tanto aqui, vimos muitas coisas. Obrigado pela vossa cidade, obrigado pelas informações que nos deu.” Nós próprios ficámos impressionados com a reação deles”, diz este voluntário.

Na fase de grupos do Euro 40 voluntários estiveram de serviço na estação de caminhos-de-ferro. Agora só há dois em cada turno porque já não há quase estrangeiros a pedir informações. Lviv não recebe os jogos decisivos.

“O Euro abriu uma nova página para Lviv. A relação com a era soviética ficou para trás”, acredita Gomernyk.

Malanka-Mariya Podolyak tem 16 anos e é o voluntário mais novo em Lviv. Ele trabalhava com os jornalistas estrangeiros, que estavam a cobrir o Euro 2012, nesta sala.

“Estava tudo diferente. Muito mais dinâmico: muitos computadores, uma emoção permanente. Nós, os voluntários sentávamo-nos aqui, aqui ficavam os jornalistas. A qualquer momento era preciso correr para algum lugar, escrever alguma coisa, ajudar alguém”, explica Malanka para quem as duas semanas da fase de grupos passou a rápido demais:

“Estou muito triste. Não é um alívio. Era algo que faltava a Lviv, algo pelo qual esperámos, que preparámos. Foi como se nos agarrassem, elevasse e depois nos largassem. Foi pena ter durado tão pouco tempo.”

Para o responsável pelo Euro 2012, em Lviv, olhar uma vez mais para o local onde se jogaram 3 partidas é estranho. Há um misto de emoções no seu rosto. Mas o principal é que correu tudo bem:

“Antes do início do Euro, a UEFA estava preocupada. Não tinha a certeza se a Ucrânia conseguiria gerir um torneio como este, devido à inexperiência. Mas depois do primeiro jogo ficou claro que é fácil substituir experiência por entusiasmo.”

Em geral, na sua opinião, a vida depois do Euro vai ganhar um novo sentido:

“No dia a seguir ao jogo do Euro, quando a cidade inteira está em silêncio absoluto, pode-se caminhar pelo e sentir que ontem houve aqui uma grande celebração. Isso faz crescer o desejo de trabalhar para que tudo continue a funcionar, temos esse sentimento todos os dias.”

A vida não acaba aqui para Lviv. Em 2015 a cidade vai receber jogos do Campeonato Europeu de Basquetebol. Depois planeiam candidatar-se aos Jogos Olímpicos de Inverno 2022. O Presidente da Câmara de Lviv explica:

“Apercebemo-nos que temos a solidez suficiente para receber grandes eventos. Gastássemos o que gastássemos em promoção, da nossa cidade ou país, nunca teríamos conseguido este resultado sem o Euro.”

Está a chegar ao fim o Euro 2012 na Ucrânia e na Polónia. Em Lviv o apito final foi no jogo entre a Dinamarca e a Alemanha.
As ruas da velha cidade estão agora desertas. Os especialistas começam a analisar o número de visitantes que passaram pela Ucrânia durante o torneio, o dinheiro que a Ucrânia ganhou, etc.
Quanto aos ucranianos têm um sentimento de dever cumprido e de orgulho, como adianta o responsável pelo executivo camarário:

“Orgulho. Orgulho por Lviv. Orgulho por um país nativo. É um sentimento especial nos dá calafrios pela espinha abaixo, quando as lágrimas começam a cair. E queremos tanto fazer permanecer este orgulho.”

———————————————————————————————
——————————————————————————————————————————————————————

Lviv: life after Euro 2012

Generic 00’00 – 00’00

00’08

O dia de trabalho para os voluntários do Euro 2012 começa cedo. Olesj Gomernyk acorda cedo e começa a trabalhar às 6 da manhã. Gomernyk tem 21 anos é estudante e quer ser veterinário mas, nos últimos dias, ajudou os fãs estrangeiros a não se perderem numa cidade nova para eles. Ele diz, pela reação dos fãs, no regresso a casa, os voluntários ucranianos conseguiram cumprir a sua tarefa.

00’36 Olesj Gomernyk – volunteer of the Euro2012

“Eles aproximaram-se e disseram: “Não esperávamos divertir-nos tanto aqui, vimos muitas coisas. Obrigado pela vossa cidade, obrigado pelas informações que nos deu.” Nós próprios ficámos impressionados com a reação deles.”

00’49

Na fase de grupos do Euro 40 voluntários estiveram de serviço na estação de caminhos-de-ferro. Agora só há dois em cada turno porque já não há quase estrangeiros a pedir informações. Lviv não recebe os jogos decisivos.

1.03

O Euro abriu uma nova página para Lviv. A relação com a era soviética ficou para trás.

1’13

Malanka-Mariya Podolyak tem 16 anos e é o voluntário mais novo em Lviv. Ele trabalhava com os jornalistas estrangeiros, que estavam a cobrir o Euro 2012, nesta sala.

1’ 28 Malanka-Mariya Podolyak – volunteer of the Euro2012

“Estava tudo diferente. Muito mais dinâmico: muitos computadores, uma emoção permanente. Nós, os voluntários sentávamo-nos aqui, aqui ficavam os jornalistas. A qualquer momento era preciso correr para algum lugar, escrever alguma coisa, ajudar alguém.”

1’44

Para Malanka as duas semanas da fase de grupos passou a rápido demais.

1’50 Malanka-Mariya Podolyak – volunteer of the Euro2012

“Estou muito triste. Não é um alívio. Era algo que faltava a Lviv, algo pelo qual esperámos, que preparámos. Foi como se nos agarrassem, elevasse e depois nos largassem. Foi pena ter durado tão pouco tempo.”

2’06

Para o responsável pelo Euro 2012, em Lviv, olhar uma vez mais para o local onde se jogaram 3 partidas é estranho. Há um misto de emoções no seu rosto. Mas o principal é que correu tudo bem.

2’21 Oleg Zasadnyi – director, department of “Euro 2012” in Lviv

“Antes do início do Euro, a UEFA estava preocupada. Não tinha a certeza se a Ucrânia conseguiria gerir um torneio como este, devido à inexperiência. Mas depois do primeiro jogo ficou claro que é fácil substituir experiência por entusiasmo.”

2.31

Em geral, na sua opinião, a vida depois do Euro vai ganhar um novo sentido.

2’38 Oleg Zasadnyi – director, department of “Euro 2012” in Lviv

No dia a seguir ao jogo do Euro, quando a cidade inteira está em silêncio absoluto, pode-se caminhar pelo e sentir que ontem hoje aqui uma grande celebração. Isso faz crescer o desejo de trabalhar para que tudo continue a funcionar, temos esse sentimento todos os dias.

2’56 -2’58 NATURAL SOUND

2’58

Mas a vida não acaba aqui para Lviv. Em 2015 a cidade vai receber jogos do Campeonato Europeu de Basquetebol. Depois planeiam candidatar-se aos Jogos Olímpicos de Inverno 2022.

3’17 Andriy Sadovyi – mayor of Lviv

“Apercebemo-nos que temos a solidez suficiente para receber grandes eventos. Gastássemos o que gastássemos em promoção, da nossa cidade ou país, nunca teríamos conseguido este resultado sem o Euro.”

3’33

Está a chegar ao fim o Euro 2012 na Ucrânia e na Polónia. Em Lviv o apito final foi no jogo entre a Dinamarca e a Alemanha.
As ruas da velha cidade estão agora desertas. Os especialistas começam a analisar o número de visitantes que passaram pela Ucrânia durante o torneio, o dinheiro que a Ucrânia ganhou, etc.
Quanto aos ucranianos têm um sentimento de dever cumprido e de orgulho.

4’06 Andriy Sadovyi – mayor of Lviv

Orgulho. Orgulho por Lviv. Orgulho por um país nativo. É um sentimento especial nos dá calafrios pela espinha abaixo, quando as lágrimas começam a cair. E queremos tanto fazer permanecer este orgulho.

4’ 27

4’28 FIN