Última hora

Última hora

Ingerir bons nutrientes torna-nos mais inteligentes

Em leitura:

Ingerir bons nutrientes torna-nos mais inteligentes

Tamanho do texto Aa Aa

Uma boa alimentação ajuda as crianças a crescerem saudáveis mas será que uma escolha adequada dos alimentos as torna mais inteligentes? Os cientistas do projeto europeu NutriMenthe acreditam que existem nutrientes que ao serem ingeridos, desde cedo, ajudam a desenvolver as habilidades intelectuais e cognitivas das crianças. As experiências estão a ser realizadas em nove países, abrangendo um total de mais de 15 mil crianças. Os testes iniciam-se durante a gravidez e prolongam-se até à idade adulta.

Pais e filhos são submetidos a uma série de exames e testes, de modo a se conseguir avaliar a evolução intelectual e cognitiva da criança.

“A gravidez é, evidentemente, um período muito importante, pois os órgãos estão a começar desenvolver-se, mas a dieta, durante a vida vai ser também estudada. Começa com a amamentação, mas inclui, também, quantos lanches a criança come, que bebidas bebe e mesmo se a criança é esquisita ou não a comer. É isso que estamos a relacionar com o desenvolvimento e o comportamento do cérebro, “ avança o psiquiatra, Henning Tiemeier.

Usando imagens de ressonância magnética, os cientistas estudam o desenvolvimento fisiológico do cérebro. Tem sido demonstrado que o cérebro continua a desenvolver-se até à idade adulta. Uma dieta rica em ácidos fólicos e gordos pode ser um dos muitos fatores que contribuem para um desenvolvimento mental e comportamental saudável.

O meio ambiente onde a criança de desenvolve é, também, um dos fatores a considerar. A pedopsiquiatra, Tonya White, considera que “A função cognitiva não está apenas relacionada com a dieta, há mais fatores envolvidos no desenvolvimento cognitivo, incluindo a inteligência dos pais, ou ambiente onde a criança está inserida. Ambientes ricos em contraponto com ambientes onde há poucos estímulos. Tudo isso desempenha um papel importante no desenvolvimento do cérebro e nas funções cognitivas. Por isso não podemos separá-las. Então, a melhor coisa a fazer é dar à criança todas as opções, para que tenha um bom ambiente, uma boa alimentação e bons pais.”

Uma análise detalhada dos dados recolhidos vai originar recomendações dietéticas concretas que favoreçam o desenvolvimento mental das crianças, ajudando-as a desenvolver-se intelectualmente. Os cientistas esperam efeitos positivos, significativos, tanto para a sociedade como para a economia.

Ver também:

www.nutrimenthe.eu

www.generationr.nl

www.frisbee-project.eu

Outros projetos de investigação sobre Bioeconomia:

Investigação Marinha e Marítima

www.securefish.net

www.myfishproject.eu

www.sensorfish.eu

www.safetrackfood.eu

Agricultura & Silvicultura

www.fertiplus.eu

www.timing-metabolism.eu

www.sirrimed.org

sustainmed.iamm.fr

Bioindústrias

www.sdu.dk

www.enercorn.com

www.bammbo.eu

www.plaprova.eu