Última hora

Última hora

Este não é o momento para divisões

Em leitura:

Este não é o momento para divisões

Tamanho do texto Aa Aa

Depois do anúncio da morte de Mandela, é chegado o momento das homenagens. Esta semana vão desenrolar-se várias cerimónias. Os elogios à vida e ao legado de Mandela chegaram de todo o mundo, sublinhando o papel de Madiba na reconstrução da nação arco-íris.

Temos connosco François Chignac, enviado especial da euronews a Joanesburgo.

Hoje, o parlamento prestou homenagem a Nelson Mandela. François, podes dizer-nos algo mais sobre a sessão parlamentar dedicada à sua memória?

François Chignac:

As duas câmaras do parlamento prestaram hoje, no Cabo, uma homenagem ao primeiro presidente negro da África do Sul. Mas mais importante que a política é o coração dos sul-africanos, sejam eles brancos ou negros, venham do Paquistão, do Congo ou do Zimbabué. E esse coração manifestou-se na igreja principal do Soweto, em Joanesburgo, onde centenas de pessoas se deslocaram para prestar homenagem a Madiba.

Sophie Desjardin:

Mas voltemos à questão inicial e à sessão parlamentar. Há uma verdadeira unidade entre a classe política relativamente ao homem que consagrou a vida à reconciliação de um povo?

François Chignac:

Há uma verdadeira unidade. Este não é o momento para divisões. Eu penso que elas vão surgir em 2014, ano de eleições. O ANC é bastante criticado atualmente e pode haver uma rejeição maciça, em particular pelos mais jovens que não conheceram o apartheid, que nasceram depois do fim do apartheid, e que vão votar pela primeira vez. O ANC pode ser rejeitado por estes eleitores por considerarem o partido no poder um partido corrupto.

Sophie Desjardin:

Mais de 90 chefes de Estado vão marcar presença na cerimónia oficial, em Joanesburgo, antes do funeral na localidade onde cresceu, no próximo domingo. Como é que este encontro de altos dignitários do mundo, por causa de um homem, é vivido aí? Como muito orgulho, imagino.

François Chignac:

As pessoas estão muito orgulhosas em receber estas personalidades que vão reunir-se no coração do Soccer City, que é um estádio de futebol imenso com mais de 90 mil lugares e onde todos querem estar. As estradas já estão bloqueadas. É um estádio enorme que foi construído em forma de cabaça, que é um legume africano que se pode encontrar por todo o continente e que pode também servir de instrumento musical depois de seco. É neste estádio maravilhoso que vai haver uma grande homenagem a Nelson Mandela.