Última hora

Última hora

Espanha: Rajoy garante que "a maioria dos políticos é decente"

Em leitura:

Espanha: Rajoy garante que "a maioria dos políticos é decente"

Tamanho do texto Aa Aa

Com uma parte dos dirigentes do seu partido suspeitos de corrupção, o primeiro-ministro espanhol foi esta quinta-feira ao parlamento assegurar que “a maioria dos políticos é decente”.

Numa intervenção prevista de longa data, Mariano Rajoy apresentou um plano de medidas para combater a corrupção, a maioria na gaveta desde há vinte meses.

As propostas apresentadas pelo governo no início da legislatura, mas entretanto quase esquecidas no parlamento, prevém o reforço dos controlos e da fiscalização sobre o financiamento dos partidos, nomeadamente com o reforço dos poderes do Tribunal de Contas e a obrigação de publicar as doações superiores a 50 mil euros.

“Percebo e partilho a irritação e a desconfiança dos espanhóis. Toda a gente sabe que há gente corrupta que emergiu do meu partido – pessoas que tinham obtido a minha confiança e a do meu partido e peço desculpa”, afirmou Rajoy.

As declarações foram proferidas menos de 24 horas após a demissão da ministra da Saúde, Ana Mato, depois da justiça reconhecer a sua alegada ligação à rede de corrupção “Gurtel”, dentro do partido conservador espanhol.

Mato vai ser convocada apenas como testemunha no processo de 43 membros do PP, entre os quais se encontra o seu ex-marido bem como o antigo tesoureiro da formação Luís Barcenas.

O processo constitui a primeira fase da investigação quando a imprensa referiu outros casos que poderão atingir a cúpula da formação.

O eco das revelações está a afetar o partido, quando uma sondagem recente aponta que cerca de um quarto dos militantes do PP poderiam votar na nova formação “Podemos”, que nos últimos meses tornou-se o primeiro partido espanhol em intenções de voto.