Última hora

Última hora

No Clermont Foot, o sexo do treinador não é importante

Corrine Diacre substituiu Helena Costa. A portuguesa foi a primeira mulher a orientar um clube de futebol profissional, em França.

Em leitura:

No Clermont Foot, o sexo do treinador não é importante

Tamanho do texto Aa Aa

Em França, o Clermont Foot fez história ao contratar Helena Costa, mas treinadora portuguesa não chegou a orientar nenhum jogo oficial e foi substituída por Corrine Diacre antes de a temporada começar.

A equipa de Clermont Ferrand apostou novamente numa mulher, a segunda a orientar clubes de futebol profissional em França e que já está farta das perguntas relacionadas com o facto de ser do sexo feminino.

“Não quero responder a essa questão. Estamos a preparar o próximo jogo e peço-vos que se concentrem nisso”, disse Diacre aos jornalistas após a enésima vez em que foi interrogada sobre o facto de ser uma mulher num mundo tradicionalmente masculino.

O Clearmont Foot está atualmente um lugar acima da linha de despromoção na segunda liga francesa e o lugar de Diacre está em risco, como o de qualquer outro treinador.

Para os jogadores, a diferença entre ter um homem ou uma mulher a treiná-los está no tom dos debates que se geram no balneário. O avançado Idriss Saadi afirma mesmo que “podemos discutir com um treinador, mas não está certo gritar com uma mulher”.

No entanto, as discussões prometem subir de tom agora que o Clermont foi eliminado da Taça de França por uma equipa amadora.