Última hora

Última hora

Liga Portuguesa, J14: Benfica carimba “título” de Natal com triunfo polémico

Benfica é o campeão de Natal, com o Guimarães a ceder o pódio ao Braga e o Sporting a vencer na Choupana

Em leitura:

Liga Portuguesa, J14: Benfica carimba “título” de Natal com triunfo polémico

Tamanho do texto Aa Aa

Um golo de Nico Gaitán numa recarga após remate de Maxi Pereira, que partiu de fora de jogo, valeu ao Benfica um triunfo sobre o lanterna “vermelha”, que permitiu às “águias” carimbar com três pontos polémicos a liderança isolada da I Liga antes da habitual pausa natalícia no futebol português. O FC Porto goleou o Setúbal na abertura da ronda e segue em segundo. O Sporting assinou na Choupana a única vitória fora da jornada. O Braga, com o segundo triunfo consecutivo, chega ao Natal no “pódio”. O Guimarães perdeu no Estoril e atrasou-se.

O último classificado da Liga, ainda sem vitórias, entrou de peito feito na Luz. Nos primeiros minutos, o Gil Vicente obrigou Júlio César a atenção redobrada. Mas o guarda-redes do Benfica não deixou os visitantes cantarem de galo. As “águias”, aliás, reagiram, equilibraram e tomaram o controlo do jogo, embora nunca de forma autoritária. Mérito para a formação de Barcelos. Ainda assim, à meia hora, num lance precedido de claro fora de jogo que a equipa de arbitragem liderada por João Capela não sancionou, Ola John isolou Maxi Pereira (capitão na ausência de Luisão). À saída de Adriano Fachini, o uruguaio desviou para o poste e, na recarga, Gaitán faz o terceiro golo no campeonato. Nas redes sociais, ao contrário do habitual, o Benfica não disponibilizou o resumo do jogo nem sequer qualquer registo vídeo do golo de Gaitán.

O jogo prosseguiu morno, numa toada de equilíbrio, mas agora com algum ascendente do Benfica, mais confiante e sereno com o golo. As bancadas animaram com a vantagem, mas rapidamente voltaram a refletir a frieza do jogo, no final de uma semana em que já haviam ido do céu (vitória no Dragão para o campeonato) ao inferno (eliminação da Taça, em casa, perante o Braga).

Após o descanso, o Gil voltou a surgir bem. Sem medo de ter a bola, os “galos” acreditavam no empate. Menos Simy Nwankwo. O nigeriano, de 22 anos, esteve cara-a-cara com Júlio César e não conseguiu bater o brasileiro, de 35. Mérito do central César Martins, que aproveitou a hesitação de Simy e cortou para canto.

Talisca respondeu pouco depois, mas Adriano brilhou na baliza gilista. Jorge Jesus trocou Jonas por Bebé e, logo a seguir, foi Júlio César a negar o empate aos “galos”, ao defender um cabeceamento de João Vilela. Bola cá, bola lá, Tiago “Bebé” quase fez o 2-0; Gabriel, no outro lado, falhou o remate em posição privilegiada. O gilista Diogo Viana ainda acabou expulso, nos descontos, por duplo amarelo, e as “águias” – que uma semana antes tinham ido ao “céu” (vitória no Dragão para o campeonato) e na quinta-feira caído no “inferno” (eliminados em casa da Taça de Portugal pelo Braga) – foram de férias com mais três pontos debaixo da “asa” e a liderança folgada no campeonato.

Goleada no Dragão
A 14.a jornada abriu sexta-feira com o FC Porto-Vitória de Setúbal. Regresso a “casa” do antigo goleador “azul e branco” Domingos Paciência, agora como treinador dos sadinos. Serviu-lhe de pouco a ligação umbilical aos “dragões”. Já sem a Taça de Portugal, o FC Porto precisava de dar uma resposta cabal à importante derrota sofrida uma semana antes na receção ao “arquirrival” Benfica. Mas nem precisou de se esforçar muito perante os sadinos.

Aos 20 minutos, o internacional brasileiro Danilo escapou-se pela direita, lançado por Herrera, e, já dentro da área, foi puxado pelo braço por Manu e caiu. Penálti assinlado pelo árbitro Manuel Oliveira. Ricardo Quaresma, o único português no “11” portista, não perdoou. A bola foi a meio-campo e quase de imediato voltou ao controlo dos anfitriões, com Cristián Tello a ficar muito perto do 2-0 segundos depois do reatamento.


O Vitória de Setúbal chegou ao Porto com uma série de 4 derrotas consecutivas – a primeira na Taça de Portugal diante do Oriental. Ficou nas cordas com o golo sofrido. Cinco minutos depois do penálti, com dois cantos contra pelo meio e praticamente só a ver jogar, os sadinos foram ao “tapete”. Cruzamento da direita de Tello e regresso aos festejos Jackson Martinez, com o 11.° golo no campeonato – é o melhor marcador.


Após o descanso, os visitantes mantiveram a apatia. O FC Porto controlava e Ricardo Baptista ia adiando o terceiro golo. Peto do do final, Julen Lopetegui lançou Brahimi no lugar de Quaresma e, quase de imediato, aos 88 minutos, o melhor jogador argelino da atualidade (recebeu o quarto prémio individual do ano) assinou o oitavo golo de “dragão” ao peito, o terceiro no campeonato português. Os portistas cumpriram a missão e mantém-se em segundo, a seis pontos do líder. Com o triunfo do Arouca, o Setúbal caiu na tabela e já está sobre a linha de água. Será um natal difícil para Domingos.


Guimarães cede subida ao Braga
O Guimarães visitou, entretanto, o Estoril. Os “conquistadores” defendiam o terceiro lugar na Liga e procuravam não perder o “comboio” da frente. Deram-se mal. Os “canarinhos” entraram forte na partida e com Kléber finalmente em bom momento. O avançado brasileiro travou um duelo interessante com o guarda-redes visitante, o compatriota Assis. Mas só conseguiu marcar aos 74 minutos. Quarto golo do avançado cedido pelo FC Porto na Liga.

O Guimarães teve também algumas chances de chegar ao golo, mas esta não foi uma noite particularmente inspirada de Hernâni e companhia. A derrota vimaranense (1-0) deixou o último lugar do pódio à mercê dos vizinhos de Braga e a equipa de Sérgio Conceição não se fez rogada.

Os “guerreiros” receberam a visita do Paços de Ferreira ao início da noite de segunda-feira e os “castores” até começaram por parecer a equipa que jogava em casa. Os anfitriões, contudo, mais pragmáticos, adiantaram-se no marcador aos 25 minutos, por Felipe Pardo. Contra-ataque perfeito, com o colombiano a aproveitar um ressalto de bola para assinar o quarto golo na Liga.

O jogo ficaria selado ainda antes do intervalo, com golos de Éder e Rafa. O Paços foi ao tapete e não mais se ergue. Os três pontos e os três golos colocam o Sporting de Braga no terceiro lugar da Liga, em igualdade pontual com o Guimarães. Os “castores” mantém-se em sexto e mais longe do Sporting, quarto.

Sporting finta no campo problemas internos
Os “leões”, aliás, averbaram a única vitória fora de portas desta jornada. Com um turbilhão de suposições a rodear a equipa devido à alegada troca de galhardetes pela imprensa entre o presidente Bruno de Carvalho e o treinador Marco Silva, de quem se começa a dizer poder estar de saída de Alvalade, e um “black out” institucional à imprensa aplicado a partir de sexta-feira, o Sporting deslocou-se à Madeira para defrontar o Nacional.

No fim de semana da inauguração na “Pérola do Atlântico” da estátua de Cristiano Ronaldo, os dois únicos clubes da carreira portuguesa do melhor do Mundo defrontaram-se.

Os insulares vinham de uma derrota em Penafiel e uma vitória sofrida (2-1) na Taça sobre o Santa Maria; os “leões” de um surpreendente empate caseiro com o Moreirense e uma vitória também sofrida (2-3) em Vizela, igualmente na Taça de Portugal. Entraram melhor os visitantes e a justificar golos. Slimani esteve particularmente desinspirado.

Um golo de Carlos Mané, já na segunda parte, numa recarga após defesa de Gotardi a cabeceamento de Slimani, valeu os três pontos ao Sporting, que permitem ao clube ir para férias refletir nos problemas internos sem ter de lamentar mais uma escorregadela. A situação não está fácil em Alvalade e o presidente está no foco da instabilidade. O Sporting mantém-se em quinto, a um ponto do terceiro lugar e a 10 do primeiro. O Nacional é 13.°, agora com a companhia do Arouca.

Arouca a subir
A equipa de Pedro Emanuel recebeu o Marítimo e um golo do brasileiro Roberto chegou para ganhar e subir ao 14.° lugar. A equipa do Funchal caiu para 11.°, ultrapassada pelo Estoril. Depois do empate em Alvalade, o Moreirense continuou a pontuar e, desta feita, com o triunfo em casa, pela margem mínima (1-0) diante do Boavista. Académica e Penafiel empataram a um golo em Coimbra, enquanto Rio ave e Belenenses, no jogo de encerramento da jornada, não foram além do nulo.

Resultados da 14.a jornada:
FC Porto-V. Setúbal, 4-0
Estoril-V. Guimarães, 1-0
Moreirense-Boavista, 1-0
Arouca-Marítimo, 1-0
Académica-Penafiel, 1-1
Benfica-Gil Vicente, 1-0
Nacional-Sporting, 0-1
Sp. Braga-P. Ferreira, 3-0
Rio Ave-Belenenses, 0-0

Com o início da fase de grupos da Taça da Liga pelo meio, a próxima jornada está marcada para 4 de janeiro:
P. Ferreira-Rio Ave
Gil Vicente-FC Porto
V. Guimarães-Nacional
Belenenses-Académica
Boavista-Arouca
Penafiel-Benfica
Marítimo-Sp. Braga
Sporting-Estoril
V. Setúbal- Moreirense